domingo, 31 de outubro de 2010

Loco desejo...

"Uh! El Loco!": Fogão tá na briga pelo caneco!
Seis pontos. Essa é a distância entre Botafogo, quarto colocado, e o líder Fluminense. Diferença que permite ao Glorioso sonhar com a conquista do título Brasileiro de 2010. Mas o que parece tão perto, ao mesmo tempo, ainda está um pouco longe. Restando seis rodadas, seis pontos significa um terço do total a ser disputado. E, sobretudo, pesa contra o alvinegro a grande quantidade de empates e o pouco número de vitórias, primeiro critério de desempate. Enquanto o Bota empatou 15 e venceu 12, o Flu ganhou 16 vezes e ficou no empate em apenas nove oportunidades, assim como o Cruzeiro. O Corinthians possui 15 vitórias e também nove empates. A solução será pontuar o máximo possível e buscar a ultrapassagem, a "Arrancada Final!" Mas pelo amor de Deus...sem empates! Era para o que parecia se encaminhar o Botafogo e Atlético-MG de ontem. O time carioca marcava bem, mas tinha dificuldades em parar o lado direito de ataque do Galo no primeiro tempo. Algo que Joel corrigiu no intervalo. Aliás, o treinador foi muito feliz. Encheu o meio-campo, bloqueou as laterais e matou os ataques adversários. O Galo não conseguiu criar? Pelo contrário. Teve algumas boas chances, mas esbarrou na falta de pontaria e em São Jéfferson. Ainda teve o chutaço de Diego Tardelli no travessão...no ataque, o Botafogo era nulo. Lento...ou, quer dizer...Lucio Flavio, de novo, foi figura apagada. Só apareceu para cobrar faltas e escanteios. Mesmo assim, a bola não passava do primeiro pau. Para piorar sua situação, Joel Santana o tirou e colocou Edno. Por que digo isso? Edno, simplesmente, decidiu a partida em duas jogadas com Loco Abreu. Na primeira, disparou em rápido - essa palavra dificilmente aparece em textos sobre o Bota quando o Lucio está em campo - contra-ataque e lançou Abreu, que esperou sua chegada dentro da grande área e rolou para o camisa 11 empurrar para as redes. Pouco depois, novo lançamento preciso para o uruguaio. El Loco avançou sozinho pela esquerda, foi chegando, chegando...e quando estava pertinho do goleiro...uma espécie de cavadinha! Gol! Dois a zero Fogão. Vitória da eficiência carioca, de Edno, Loco Abreu, Marcelo Mattos, Leandro Guerreiro, Alessandro...e Papai Joel! Galo luta para não cair, Glorioso na briga pelo caneco...o Loco desejo continua...

Vitória 4x2 Vasco: alguém aí viu o Vasco no Barradão por volta das 16 horas deste sábado? Porque eu não vi. Um primeiro tempo pífio, time desarrumado, sem vontade e que levou três gols do Vitória com extrema facilidade, gols de pelada! Não sei se tem a ver com a questão da motivação. Como escrevi aqui, o Vascão é hoje um time neutro no Campeonato: sem chances de rebaixamento, Libertadores e praticamente garantido na Sul-Americana. O rubro-negro baiano não...a equipe joga a permanência na elite do Brasileirão nestas últimas rodadas. Acho que a explicação passa por aí. Na etapa final, ameaçou reagir, fez um gol mas prontamente levou outro. E poderia ter sido pior, não fosse a displiscência do rival, motivada exatamente pela moleza que era chegar até o gol de Fernando Prass - que ontem falhou mas não pode ser cruxificado, é muito bom goleiro e tem crédito de sobra. No meio de semana, Carlos Alberto e Ramom devem retornar ao time de PC Gusmão. Espero que a qualidade - indiscutivel - dos dois jogadores venha com uma boa dose de vontade. Se não vai ficar difícil...

Um pouco mais: não escrevi sobre a vitória do Fluminense. Falta de tempo mesmo. Mas posso resumir rapidamente em um nome: Dario Conca. Num campeonato tão equilibrado, cheio de empates e com seis times (acho que agora só os seis primeiros) sonhando com o título, um jogador que desequilibre faz a diferença. Conca é o diferencial do Fluzão e pode ser o diferencial para levar a taça para as Laranjeiras. Vencer o Grêmio por 2x0 não é qualquer resultado. O tricolor gaúcho não é qualquer adversário, tanto que mantinha invencibilidade de nove partidas até então. Mas o tricolor carioca tem o craque argentino, que acertou um chute sensacional quando o jogo estava 0x0, truncado e difícil para o Flu. Só não sabemos por quanto tempo, pois a diretoria prefere pagar o dobro a Deco e Fred...

sábado, 30 de outubro de 2010

Voltando a ser Brasil...

Neymar e Gaúcho juntos: Brasil de volta!
Nesta sexta-feira, Mano Menezes convocou a Seleção Brasileira que disputa amistoso contra a Argentina, dia 17 de novembro, no Qatar. Na lista, jogadores jovens, promessas do futebol brasileiro e mundial e ele: Ronaldinho Gaúcho. Ufa, até que enfim! Como desprezar o talento do gênio em meio a Elanos, Felipe Mellos, Grafites...ponto para Mano! É claro...muitos dos convocados são jovens, promessas como escrevi. Não sabemos a que nível estarão jogando daqui a quatro anos, se irão desenvolver todo o potencial e virar realidade. Talvez se tornem Robinhos, ou seja, apenas jogadores medianos com futebol de craque. Mas o treinador tem a vantagem de ter a classificação para a Copa do Mundo de 2014 assegurada. E pode se dar ao luxo de testar várias opções, como tem feito acertadamente. Cortou Neymar por indisciplina quando tinha de cortar e o chamou de volta na hora que achou conveniente. Observou Ronaldinho Gaúcho, sua evolução e retorno à boa forma. E o convoca para o grande clássico do futebol mundial. Outros como Jéfferson, Victor, Elias...ganham oportunidade que nunca tiveram de outros técnicos, com  filosofia de privilegiar o stauts de quem joga na Europa. Mano cumpre a promessa de olhar mais para o futebol nacional. Basta ver o equilíbrio do Campeonato Brasileiro, onde sete times têm chances reais de título, restando apenas sete rodadas e chegar a conclusão de que é mais uma atitude correta. Pois bem...gosto muito do trabalho de Mano Menezes até o momento. E tenho a impressão de que Ronaldinho Gaúcho vai render o que nunca conseguiu antes com a camisa amarelinha. No 4-2-3-1 de Mano, caindo pela ponta esquerda e sem grande responsabilidade de marcar, o craque terá liberdade para mostrar talento. Acredito no Gaúcho e no Mano, no futebol bonito, ofensivo, na magia da Seleção pentacampeã! É o Brasil voltando a ser Brasil...

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Empate Técnico...

Luxa x Tite: empate técnico
Flamengo e Corinthians fizeram um bom jogo na noite desta quarta-feira, no Engenhão. Mas o 1x1 não resolve nada para ninguém. O Mengo segue ameaçado de rebaixamento: diferença para o Z-4 é de cinco pontos, mas pode diminuir na sequência da rodada. Já o Timão perdeu a chance de dormir líder e acordou na segunda colocação, com o mesmo número de pontos e vitórias de Fluminense e Cruzeiro, atrás do tricolor no saldo de gols. Por falar em gols...ele pode não ter a mesma forma, arrancada e estar acima do peso. Mas, com a bola nos pés e até mesmo sem ela, Ronaldo é brincadeira. O Fenômeno segura dois, três marcadores com ele. Quando recebe a bola, distribui passes de quem sabe. E dentro da área de cara com o goleiro...ah! É gol, como ontem após belo passe de Bruno Cesar. Aliás, no primeiro tempo, Titi armou o Corinthians para pressionar a saída de bola do Flamengo, recuperar a posse e contra-atacar, utilizando principalmente Alessandro na direita. A tática 3D de Luxemburgo - Diego Mauricio, Diogo e Deivid no ataque - não funcionou. Principalmente por conta da fraca atuação de Deivid, tanto tecnicamente quanto taticamente. O camisa 99 embolava pelas pontas com Diogo e Diego e deixava a área sem referência. Fora o fato de não ter acertado quase nenhuma jogada. Para a etapa final, Luxa foi esperto. Tirou o centroavante, colocou Marquinhos na ponta esquerda e segurou Juan para combater Alessandro. Deu certo. Mais rápido que o treinador pudesse imaginar: em seu primeiro lance, Marquinhos cobrou escanteio, Renato desviou e Diogo marcou seu primeiro gol com a camisa rubro-negra após 12 jogos. Reparem que Marquinhos foi novamente decisivo. Contra o Atlético-GO, passe para gol de Val Baiano. Diante do Vasco, cruzamento para Renato Abreu marcar. Ontem participou diretamente do gol. Não, não é somente estrela do jogador e de Luxemburgo. É coisa de quem entende de futebol. Algo que, em uma substituição, Tite parece ter esquecido. Tirar Bruno Cesar foi um golpe nos contra-golpes do Timão. Entendeu? Explico. Sem a velocidade e precisão dos passes do camisa 10, os contra-ataques paulistas perderam qualidade. Tite percebeu o erro e tentou consertar com Defrederico, mas já era tarde. E o Corinthians não soube aproveitar os espaços deixados pela defesa rubro-negra. No fim das contas, placar justo. Entre erros e acertos, Luxemburgo e Tite fizeram a diferença no clássico das duas maiores torcidas do Brasil. Digamos que foi um empate técnico...

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Votos nos jogos da 32ª rodada...

No ritmo do segundo turno das eleições presidenciais, aqui estão meus votos/palpites para os jogos da 32ª rodada:

Jogos de quarta-feira:

Flamengo 1x0 Corinthians: Mengo derruba Timão, Ronaldo, Tite, travecos...e vence no Engenhão com gol de Val Baiano.

Jogos de quinta-feira:

Fluminense 2x2 Grêmio: Flu desfalcado; Grêmio invicto há nove jogos...emapate.

Atlético-GO 2x0 Ceará: Dragão continua caminhada rumo à permanência na Série A!

São Paulo 2x1 Atlético-PR: bom jogo...tricolor paulista vence no Morumbi.

Jogos de sábado:

Vitória 1x0 Vasco: time baiano está se acertando com Antônio Lopes, não merecia perder para o Botafogo. No Barradão, vence um desmotivado Vasco.

Internacional 1x1 Santos: empate.

Atlético-MG 1x2 Botafogo: o Galo é freguês! Fogão, explorando contra ataques e com grande atuação de Jobson, vence em Minas Gerais.

Palmeiras 1x0 Goiás: vitória do Verdão paulista sobre o Verdão goiano, que deve ser rebaixado.

Prudente 1x3 Cruzeiro: não acredito que a Raposa vá bobear contra o fraco Prudente. Vitória e liderança recuperada.

Avaí 2x0 Guarani: times iguais, prevalece o mando de campo da equipe catarinense.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Sete rodadas, oito times, sete pontos

Dona liderança, seus três maridos...e  mais cinco amantes...
Apenas sete pontos separam o líder Fluminense do oitavo colocado Grêmio. Nenhum time consegue disparar, abrir frente e o Campeonato Brasileiro de 2010 segue indefinido quanto a rebaixamento, Libertadores e título. Todo esse equilíbrio pode ser traduzido em números. Em um torneio à parte, pegando os oito primeiros colocados e seus desempenhos nas últimas sete rodadas, teríamos a seguintes classificação:

1° - Grêmio, 17 pontos (5 vitórias, 2 empates e nenhuma derrota)
2° - Cruzeiro, 11 pontos (3 vitórias, 3 empates e 2 derrotas)
3° - Santos, 10 pontos (3 vitórias, 1 empate e 3 derrotas)
4° - Internacional, 10 pontos (3 vitórias, 1 empate e 3 derrotas)
5° - Atlético-PR, 10 pontos (2 vitórias, 4 empates e 1 derrota)
6° - Fluminense, 9 pontos (2 vitórias, 3 empates e 2 derrotas)
7° - Botafogo, 9 pontos (1 vitória, 6 empates e nenhuma derrota)
8° - Corinthians, 6 pontos (1 vitória, 3 empates e 3 derrotas)

A partir da tabela, podemos fazer algumas análises. Time em ascenção no Brasileirão é o Grêmio. Invicto há nove jogos, o tricolor gaúcho é o único clube dentre os oito a conquistar mais da metade dos 21 pontos disputados (considerando os 11 do Cruzeiro como metade de 21). O segundo time que mais pontuou foi o Cruzeiro e por isso encostou de vez em Corinthians e Fluminense. Assim como o Bota, não perde. Mas vence. O Timão tem desempenho de time rebaixado na últimas sete rodadas: seis pontos apenas, menos de um terço do total em disputa. O tricolor carioca, há cinco jogos sem vencer, retomou a liderança com um empate. E teria apenas a sexta campanha, com nove pontos ganhos. O time de Muricy Ramalho poderia estar com uma enorme vantagem na ponta! Santos e Inter podemos dizer que mantiveram certa regularidade no período em relação aos demais. Já Atlético-PR e, principalmente Botafogo, empataram muito, perdendo a chance de encostar de vez nos líderes. O Glorioso está invicto há nove jogos, mas com oito empates. Significa dizer que teve o mesmo desempenho do Cruzeiro em sete rodadas, com a diferença de ter ganho menos - vale lembrar que o número de vitórias é critério de desempate. Sete rodadas, oito times, sete pontos. Todos tarados atrás da Dona Liderança... e com o direito de sonhar...

Um pouco mais: algumas curiosidades deste Brasileirão: antes da 31ª rodada, o Botafogo estava há 9 jogos sem vencer. Após vencer o Vitória, está há 9 jogos invicto; O Fluminense não vence há cinco partidas. Crise? Que nada! O tricolor carioca reassumiu a liderança com empate e sem quebrar o jejum de vitórias; O Corinthians ganhou apenas seis pontos em sete rodadas. Adeus ao título? Longe disso. A diferença para o Flu é de um pontinho. O Grêmio ganhou 17 pontos dos últimos 21 disputados. É apenas oitavo colocado. Coisas de Campeonato Brasileiro...

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Rodada alvinegra!

A 31ª rodada pometia...clássicos nos quatro cantos do país, confrontos diretos e possibilidade de definições...e ficou definido o seguinte: nada está definido! Confuso? Um pouco, assim como a tabela de classificação do Campeonato Brasileiro. Hoje, oito times estão separados por sete pontos e sonham com o título. Na parte de baixo do Vitória, 17°, ao Flamengo, 13°, distância de quatro pontos. No meio de tanto equilíbrio, pelo menos dois times tiveram motivos para sorrir no fim de semana: Botafogo e Corinthians! Dos 10 primeiros colocados, apenas os dois alvinegros venceram (Flu, Atlético-PR, Inter e Grêmio empataram; Cruzeiro, Santos, São Paulo e Palmeiras perderam). Com isso, o Timão fica a apenas um ponto do líder - pelo saldo de gols! - Fluminense e o Botafogo com a última vaga na Libertadores - pelo menos por ora, enquanto o "G ainda é 4" - e a seis pontos da liderança. Outro alvinegro que brilhou foi o Atlético-MG: goleou o maior rival, o tirando da liderança, e deixou a zona de rebaixamento após 21 rodadas. O Ceará venceu o São Paulo e praticamente deu adeus aos riscos de cair para a Série B. Talvez o Vasco tenha sido o preto e branco que distoou dos demais. Empate com o Flamengo, o 15° no Campeonato, mas que mantém o time a seis pontos da zona de Libertadores. O grande problema é a quantidade de times à sua frente (seis) e o pequeno número de vitórias, nove, que é primeiro critério de desempate. Neste quesito, o Botafogo também leva desvantagem, com apenas 11 triunfos. É o efeito Empatite, que pode ser decisivo no fim de um Campeonato tão equilibrado.

Flamengo 1x1 Vasco: pela direita, a melhor opção ofensiva de ambos. Um tempo pra cada lado, um gol pra cada lado, um ponto pra cada lado. Libertadores mais longe para o Vasco; Z-4 mais perto para o Flamengo. O empate não resolveu nada pra ninguém no Clássico do Milhões, o primeiro do Engenhão. Apenas a comprovação de dois fatos, não adianta tentar esconder: o time do Flamengo é fraco; e o Vasco não fica muito atrás. No entanto, é mais equilibrado. Equilíbrio que se reflete na posição cruzmatina, o meio da tabela, desde o início da competição. Fraqueza que mantém a briga permanente do rubro-negro contra o rebaixamento, sem que consiga pensar em vôos maiores.

Atlético-PR 2x2 Fluminense: Líder de novo! O pontinho conquistado na Arena deve ser muito valorizado. Não só por ser na casa do adversário e devolver a ponta ao tricolor, mas pela fraca atuação do time de Muricy Ramalho. Conca apagado significa time sem criatividade e com dificudades em articular jogadas de perigo, apesar da maior posse de bola durante a maioria do jogo, especialmente no segundo tempo. Já o Furacão, não acho mesmo que vai brigar por Libertadores. Tem um time apenas mediano, bem encaixado e que é forte em seu Estádio. Insuficiente, na minha visão.

Um pouco mais: e o Washington desencantou após oito jogos! Mas peraí...os gols do Fluminense não foram marcados por Marquinho e Conca? Sim, isso mesmo...o Coração Valente fez foi gol contra! Uma pena, o camisa nove não foi mal no jogo...principalmente na função de pivô, ajeitando para o companheiro que chegava de trás. Queria até bater o pênalti! Mas não deveria, como não permitiu Muricy Ramalho. Perder a penalidade poderia ser a cruxificação final do atacante, que não vive bom momento e não teria confiança necessária para executar a cobrança. Imagina se ele erra? O Flu não seria líder...

domingo, 24 de outubro de 2010

Ufa!

Ufa! Chegou ao fim o jejum de nove partidas sem vitórias e oito empates consecutivos! O quinto lugar provisório, pelo menos até o complemento da rodada, colocaria o Botafogo na Libertadores de 2011 se o Brasileirão terminasse hoje - e claro, nenhum time brasileiro conquistasse a Sul-Americana. O placar de 1x0, com gol de falta e aos 44 do primeiro tempo traduz bem o que foi o jogo. Um resultado construído com enormes dificuldades pelo alvinegro. A defesa, formada por Marcio Rosario e Danny Morais, com Leandro Guerreiro na sobra, individualmente foi bem. Mas a falta de entrosamento foi visível e Junior deu foi trabalho ao trio! Outro ponto, este irreparavel, é a queda na qualidade da saída de bola. Antônio Carlos e, principalmente, Fabio Ferreira se não eram um primor ao menos sabiam sair jogando com precisão. Já a nova dupla, não. O Vitória adiantou sua marcação e impôs extremas dificuldades ao Glorioso pra sair de sua defesa trocando passes. As opções eram Alessandro e Marcelo Cordeiro, mas quem tentava executar a tarefa - e conseguia na maioria das vezes - era Marcelo Mattos. Sim, logo o volante de contenção saindo para armar o jogo. Por que? Somalia e Lucio Flavio, teoricamente responsáveis pela criação estavam apagados. Aliás, se dependesse do "maestro", a orquestra alvinegra teria desafinado. Lento e displiscente, se deixou abater pelas vaias da torcida e não rendeu nada. De novo. O ciclo de Lucio Flavio no Bota parece ter chegado ao fim, não há mais clima entre jogador e torcedores. Mas, voltando ao jogo, o Fogão achou o gol com Marcelo Cordeiro. Golaço! Cobrança de rara felicidade - como diriam os mais antigos - que deu certa tranquilidade ao time no segundo tempo e transformou o princípio de cobrança da galera alvinegra em incentivo. No entanto, o panorama da partida em nada mudou na etapa final. Jogo equilibradíssimo, Vitória chegando com muito perigo e Botafogo ameaçando esporadicamente - inclusive desperdiçando duas chances que poderiam ter feito falta no fim das contas, uma com Marcelo Mattos e outra com Jobson. Aliás, o atacante era a melhor opção ofensiva, dor de cabeça pra defesa rival, apesar do egoísmo em alguns lances. As alterações de Joel Santana não surtiram o efeito desejado - Edno, principalmente, entrou muito mal - e o Fogão foi cozinhando a partida até o fim, com aquela dose de sofrimento que o alvinegro está acostumado. Falando em Joel, ele é um show à parte. No último lance, falta perigosa a favor do Vitória e o técnico fez caretas, se desesperou, gritou...mas a bola foi para fora. Fim de jogo, Fogão no G-4! Ufa!

Um pouco mais: o Botafogo estreou ontem, em seu uniforme, mais um patrocinador: a marca de bebidas energéticas Guaraviton, que estampará sua logo até o fim do Brasileirão nas camisas e shortes da equipe. Aqui vai uma sugestão: alguém dê uma caixa de Guaraviton pro Lucio Flavio beber antes dos jogos! Quem sabe assim ele não acorda e pega no tranco...

sábado, 23 de outubro de 2010

Palpites 31ª rodada...

Rodada de grandes clássicos...times motivados com a volta provisória do G-4...e eu tentando melhorar fraco desempenho que tive na última rodada de palpites!

Jogos de sábado:

Botafogo 2x0 Vitória: nove rodadas e oito empates depois...Fogão reencontra a vitória contra o Vitória...é, isso mesmo! "Arrancada final"?

Guarani 1x2 Atlético-GO: Renê Simões continua caminhada para livrar o Dragão da degola.

Jogos de domingo:

Ceará 1x1 São Paulo: Vovô atrapalha planos do tricolor e chegar na Libertadores. Empate.

Atlético-PR 2x1 Fluminense: sinceramente? Não acredito mais no Fluminense...pode ser que eu esteja enganado, mas o time perdeu forças sem o Maracanã...sem Emerson...e com jejum de Washington!

Corinthians 2x2 Palmeiras: clássico paulista termina empatado. Ruim para os dois. Bom para o Cruzeiro.

Goiás 1x0 Avaí: jogo dos desesperados, prevalece o mando de campo goiano.

Santos 2x0 Prudente: Peixe ainda não morreu na praia e segue sonhando com o título.

Grêmio 2x1 Internacional: campeonato à parte no Rio Grande, vitória tricolor no Olímpico.

Cruzeiro 1x1 Atlético-MG: até que o Galo vai conseguir atrapalhar um pouquinho planos do rival...

Flamengo 2x2 Vasco: no clássico carioca, o caminho é explorar o lado direito de ataque, esquerdo de defesa. Por isso, muitos gols. Pelo equilibrio entre os times e falta de um jogador decisivo, empate.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Tecnologia no futebol...

Após muita discussão e resistência por parte dos conservadores, a FIFA aprovou nesta quarta-feira o uso de chips dentro das bolas de futebol. O dispositivo vai permitir que os árbitros saibam se a bola ultrapassou a linha das laterias e dos gols. Recentemente, durante a Copa do Mundo da África do Sul, o chute de Lampard no jogo entre Inglaterra e Alemanha foi certeiro, entrou, mas o juíz e o bandeira entenderam que não. Com o recurso, o gol teria sido validado e a história do duelo poderia ser bem diferente dos 4x0 aplicados pelo time alemão. O assunto é complexo e bem polêmico. Mas acho que o uso da tecnologia no futebol é bem vindo em alguns casos, como esse. Em outros, não. A idéia de, por exemplo, voltar os lances de impedimento é um tanto quanto absurda! Não sei qual seria a providência tomada - uma falta a favor do time prejudicado, sei lá - mas não daria certo. Aí entram os que defendem a idéia dizendo: o futebol virou negócio, circula muito dinheiro, existe muita coisa envolvida, famílias, pessoas que sobrevivem do esporte e que vivem dos resultados. Sim, tudo isso é verdade. Mas se hoje o futebol é o esporte mais popular do planeta muito se deve a essas polêmicas: "meu time foi roubado", "juíz ladrão", "tava ou não tava impedido?", dentre outras. Se no futebol circula tanto dinheiro - algo que já fugiu à realidade até - é pelo apelo publicitário que a emoção dentro das quatro linhas proporciona ao fã do esporte. E essas discussões, os lances polêmicos, fazem parte destas emoções e são um dos segredos do sucesso do futebol, assim como o fato de nem sempre o melhor time vencer, por exemplo. Outros dizem: "mas no futebol americano usa-se tecnologia e em nada prejudica o grande apelo do esporte". Pois é...no futebol americano. No futebol de campo, jogado com os pés, ninguém quer ver divididas, lançamentos com as mãos, empurrões, ombradas. E sim, gols. É diferente o tipo de emoção que se desperta no torcedor. Por isso, o uso da tecnologia no futebol deve ser bem discutida e analisada antes de ser colocada em prática. Não podemos fechar os olhos para inovações que podem beneficiar o esporte. E nem deixar que o futebol perca aquilo que tem de melhor em sua essência...

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

G-3 - G-4...G-4 - G-3?

E o G-4, por equanto G-6 devido às presenças de Santos e Inter entre os cinco primeiros, está de volta! E como tem gente comemorando...do Vasco, 11°, ao Atlético-PR, hoje sexto colocado e dono da última vaga para a Libertadores, a diferença é de cinco pontos. Ou seja, seis times separados por cinco pontos a oito rodadas do fim do Brasileirão. Além de atleticanos e cruzmaltinos, os torcedores de Botafogo, Grêmio, Palmeiras e São Paulo - olha o tricolor paulista de novo na disputa, impressionante... - sonham ver seus clubes na principal competição interclubes da América em 2011. Mais atrás, em 13° lugar e a nove pontos do G-4, o Flamengo também alimenta alguma esperança. Um sonho ainda difícil, mas não impossível. Fato é que a decisão da Conmebol, em não tirar uma vaga do país campeão da edição anterior, foi sensata e benéfica para a Libertadores. Na maioria dos anos, algum clube argentino ou brasileiro conquista o torneio e, a ausência de um representante destes países não só tira a possibilidade de ter mais um time tradicional, mas aumenta as chances de uma equipe fraca ficar com a vaga. E, convenhamos, a Libertadores de uns anos pra cá perdeu um pouco de sua graça exatamente por isso: muitos clubes de tradição passam por crises - financeiras ou estruturais - e não conseguem vaga para disputar a competição. Casos de Boca Juniors e River Plate neste ano. Claro...não tirando os méritos dos times de menor expressão que conseguem alcançar a vaga. No entanto, o torcedor quer ver grandes times, grandes jogos. E isso ele pode esperar nesta reta final de Brasileirão. As equipes entrarão em campo com ânimo e esperanças renovados...e os que estão em cima que se cuidem, especialmente o Corinthians...tem gente vindo de baixo com muita vontade! Mas...sempre tem um porém. Caso algum clube brasileiro conquiste a Copa Sul-Americana, o G-4 volta a ser G-3 e esta última vaga fica com o campeão do torneio. Ai ai ai....G-6, G-4, G3...quanta confusão! O detalhe mais interessante é a chamada da TV Globo para o jogo de hoje. Algo do tipo: vamos torcer para o Palmeiras, que é o Brasil na Sul-Americana. Ha!...acho meio difícil algum atleticano, botafoguense, são paulino, gremista, vascaíno e outros torcerem pelo Verdão...

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Gaúcho Genial!

                  

Não preciso escrever nada...basta ler o título e assistir ao vídeo. Fantástico, espetacular, genial. Como queiram. O lance aconteceu na vitória do Milan sobre o Chievo, 3x1, pelo Campeonato Italiano. E diziam que Ronaldinho Gaúcho estava acabado para o futebol...pois Mano Menezes, que estava no San Siro, já admite sua convocação para o amistoso entre Brasil e Argentina. Que assim seja! Pelo o bem do futebol brasileiro e mundial.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Igual. Faltou o diferencial...

.
Clássico Vovô, cheio de atrativos, expectativa...e no placar, um 0x0 bem sem graça! O Fluminense perdeu a chance de retomar a liderança, aproveitando derrota do Cruzeiro, e completou a terceira partida sem vitórias, sem fazer um golzinho sequer. O Botafogo viu a distância pro G-3 diminuir pra três pontos, é verdade. Mas empatou seu oitavo jogo seguido e não vence há nove rodadas. De quebra, perdeu duas posições na tabela e agora é oitavo colocado. Todos os tabus foram mantidos: Marcelo Mattos e a dupla Jobson / Loco Abreu seguem invictos com a camisa alvinegra; o Glorioso segue sem vencer um clássico desde que assumiu controle do Engenhão; Emerson segue sem perder para o Bota. Quanto ao jogo...se terminou igual, foi porque faltou o diferencial. Muitos erros de passe de ambos os lados, pouca inspiração e ninguém que pudesse fazer a diferença. As chances de gol surgiam de erros das defesas, especialmente a do Fluminense, desorganizada e batendo cabeça o tempo todo. Bem marcado por Somália - taticamente perfeito anulando o argentino - Conca nada produziu. Fora de ritmo, Emerson esteve apagado e Washington...bem, até se esforçou e tal...mas completou seu oitavo jogo sem gols. No lado do Fogão, o grande problema foi o meio-campo. Com Marcelo Mattos - voltou bem tanto tecnicamente, apesar de alguns errinhos de passe, quanto fisicamente - e Somália escalado pra anular Conca, a criação ficou sob responsabilidade de Lucio Flavio. Aí, o torcedor alvinegro conhece bem...domina, olha, dá um, dois, três toques na bola e rola pro lado. O jogo não flui, fica lento, chato e sem criatividade. Melhorou um pouco com a entrada de Edno em seu lugar, mas não foi o bastante. As melhores chances do time de Joel Santana surgiram dos pés de Jobson. Se esse rapaz melhorar sua capacidade de finalização...vai longe! Pois bem...esse foi o clássico... se serve de consolo pra Botafogo e Fluminense, apesar da igualdade, a diferença de pontos para seus objetivos diminuiu. Do Bota pro G-3, caiu pra cinco. Do Flu para o Cruzeiro, um pontinho. Mas se não curar essa Empatite...vai ficar difícil!

Atlético-GO 2x0 Vasco: uma derrota que deixa o sonho de Libertadores um pouco mais difícil - nove pontos é a distância para o G-3. Mas poderia ter sido diferente. O Vasco jogava bem, criava chances, marcava corretamente o adversário e encaixando um contra-ataque poderia ter alcançado a vitória...mas essa de poderia, faria, seria, se...no futebol não existe. A expulsão de Carlinhos prejudicou o time de PC Gusmão, que recuou e viu o Atlético crescer, pressionar e alcançar o gol, ampliando minutos depois. Sequência de bons resultados da equipe cruzmaltina interrompida. E da equipe goiana mantida. Na mesma semana, o time comandado por Renê Simões venceu Corinthians, no Pacaembú, e Vasco. Já está fora da zona de rebaixamento e vai brigar para permanecer na elite. Será que Renê vai conseguir salvar mais um time da degola?

Um pouco mais: fui goleado nesta rodada com meus palpites. Acertei somente dois: vitórias do Atlético-MG e do Vitória. Se eu fosse um time de futebol, após essa derrota por 8x2, meu treinador seria demitido. Se estivesse na zona de rebaixamento...contrataria Renê Simões!

domingo, 17 de outubro de 2010

Quem sabe, sabe!

Um dos ditados mais redundantes e, até certo ponto, idiota - me desculpem o termo - é "quem sabe, sabe". Ao mesmo tempo, é uma das frases que melhor se encaixa em certas situações. Como a de Vanderlei Luxemburgo no Flamengo. Luxa chegou em uma semana conturbada. Nos bastidores do clube, brigas entre membros da diretoria e saída de Zico. Demissão de Silas e time a dois pontos apenas da zona de rebaixamento. Torcida cobrando, jogando bomba...pela frente dois confrontos diretos: Atlético-GO e Avaí. Depois, o atual campeão da Libertadores e candidato ao título brasileiro, Internacional. Pois bem. Luxemburgo assumiu o rubro-negro e, em sua primeira preleção disse: "esqueçam tudo daqui pra trás. Eu sou vencedor, quem não for, pode ir embora. Isso aqui é Flamengo!" Resultado: vitória por 2x0 sobre o Atlético, com gol de Val Baiano. Na rodada seguinte, empate com Avaí. Mais dois gols do atacante e, embora tenha aberto boa vantagem e permitido o empate, o ponto conquistado foi bom. Distância para o Z-4 já em 5 pontos. Ontem, diante do Inter, o time esteve longe de ter uma grande atuação. Mas se aproveitou da apatia do adversário e fez 3x0, tranquilamente e com direito a "olé", sobre - repito - o campeão da América. Repararam na palavra tranquilamente? Vanderlei sabe, como ninguém, motivar os jogadores, passar confiança e tranquilidade. Após "recuperar" Val Baiano, o treinador "recuperou" Deivid, três quilos mais magro, que marcou dois gols sobre o Colorado. Quem sabe, sabe! Falando em tática, Luxa dispensa comentários. Colocou Renato Abreu, visivelmente melhor na parte física, para jogar mais perto dos atacantes e recuou Juan, em má fase técnica. Os dois cresceram de produção e o meio-campista, inclusive, marcou belo gol ontem. Tá certo vai...com contribuição de Renan, assim como no terceiro gol. No primeiro, um pênalti discutível. Mas são meros detalhes. O fato principal é que, em três jogos com Luxemburgo, foram sete pontos conquistados. E a distância para zona de rebaixamento, hoje (ainda falta o complemento da rodada), é de oito pontos. Tudo isso, em pouco mais de uma semana de trabalho. Quem sabe, sabe!

sábado, 16 de outubro de 2010

Palpites!

Jogos de sábado:

Flamengo 1x1 Internacional: Inter conta com retornos importantes; Fla com desfalques importantes. Empate no Engenhão.

Atlético-PR 1x1 Goiás: Furacão tropeça em casa diante do Goiás.

Jogos de domingo:

Atlético-GO 2x2 Vasco: cariocas e goianos embalados: um quer Libertadores, outro ficar na Série A...jogo equilibrado e empate no placar.

Atlético-MG 2x0 Avaí: sou mais Galo no duelo dos desesperados.

Grêmio 2x2 Cruzeiro: grande jogo! Aposto em empate.

Guarani 1x0 Corinthians: Bugre instala, de vez, crise no Timão.

Palmeiras 2x0 Ceará: vitória tranquila do Verdão.

Vitória 3x1 Prudente: em casa, time baiano vence paulista.

São Paulo 1x2 Santos: Peixe segue sonhando com título. E se aproxima dos líderes.

Fluminense 1x2 Botafogo: o "clássico vovô" promete, como escrevi no post anterior. São vários os atrativos, retornos, curiosidades e tabus. Mas quem decide essa é Loco Abreu. Vitória do Glorioso e sonho de Libertadores vivo. Apenas um palpite...

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Clássico Vovô repleto de atrativos!

Botafogo e Fluminense fazem neste domingo, no Engenhão, um clássico decisivo para as pretensões das equipes no Campeonato Brasileiro. Este será o jogo dos retornos, tabus, curiosidades e jejuns. Vamos a eles, começando pelo Botafogo. O Glorioso não vence há oito jogos, sendo que empatou os sete últimos, jejum que freia o time de Joel Santana na corrida por vaga na Libertadores. Curioso: ao mesmo tempo que não vence, está invicto. Falando em empates e invencibilidade, jogando no Engenhão o Bota não perdeu no Brasileirão. Mas empatou 10 dos 15 jogos, dois terços de suas partidas. Desde que assumiu a administração do Estádio, o alvinegro jamais venceu um clássico: foram 10 jogos, oito empates e duas derrotas. Quanto aos retornos, pelo lado de General Severiano, o goleiro Jéfferson reassume a camisa 1 após "passear" com a Seleção Brasileira nos dois amistosos. Até que não fez tanta falta, devido às boas atuações de Renan. O mesmo não podemos dizer de Marcelo Mattos. Desde que saiu, há oito jogos atrás, o Botafogo não venceu mais. Coincidência? Não mesmo. Sua ausência mexe com o sistema defensivo, obrigando Leandro Guerreiro a sair no primeiro combate, função em que é péssimo! Como já comentamos diversas vezes, o capitão rende mais na sobra, posição em que atua quando Marcelo está em campo. O volante ainda não perdeu com a camisa alvinegra. Assim como a dupla Jobson e Loco Abreu, quando atuam juntos. Mas não é só o Fluminense que terá de quebrar tabus. Além de vencer seu primeiro clássico como dono do Engenhão, o Glorioso terá pela frente o retorno do carrasco, invicto em jogos contra o alvinegro: o Sheik Emerson. À exemplo de Marcelo Mattos no Bota, o atacante faz muita falta ao tricolor. Após 10 rodadas, retorna contra o time contra quem estreou e marcou seu primeiro gol pelo clube. Emerson terá a missão de encerrar os jejuns de dois jogos sem gols do Flu, algo que não havia acontecido em 2010 (!), e três sem vitórias, que culminaram com a perda da liderança para o Cruzeiro. Outras duas peças fundamentais retornam ao time de Muricy Ramalho: Diguinho - sem ele, nos últimos 14 jogos, Flu levou 20 dos 31 gols sofridos no Brasileirão - ausente nas 14 últimas rodadas e Mariano, que também foi dar uma "voltinha" com Mano Menezes. Curiosamente, sem o lateral em campo, o Fluminense não venceu no Brasileirão. Sem dúvidas, este é um Clássico Vovô repleto de atrativos!

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Vascão acorda e sonha!

Eder Luis foi o melhor em campo
Uma apresentação tão boa quanto contra o Grêmio. Mas desta vez não teve bobeada, desatenção, imaturidade ou empate. E sim, segurança, eficiência, maturidade e vitória, que mantém vivo o sonho vascaíno em conquistar vaga na Libertadores de 2011. Se nos últimos jogos o lado direito do Vasco foi a principal arma ofensiva - ontem enfraquecido nestes termos pela ausência de Fagner e presença de Irrazábal, com características mais defensivas - diante do Corinthians o lado esquerdo foi o diferencial. Carlinhos entrou bem, Felipe arrebentou novamente e Eder Luis, caindo mais pelo setor, foi o melhor em campo. Não só pelo gol, mas pela movimentação e participação intensa na defesa e ataque. Pela esquerda, o Vascão construiu as jogadas dos gols e infernizou a defesa paulista. Fez 2x0 e soube administrar praticamente sem sustos e desatenções. O time de PC Gusmão fez 11 pontos dos últimos 15 disputados, mantendo invencibilidade de 5 jogos. A distância para o G-3 que era de 11 pontos e poderia ser de 14 em caso de derrota, agora é de 8 pontos. Com um detalhe: seus principais jogadores - Eder Luis, Felipe e Zé Roberto, além de Fernando Prass e a grata surpresa Dedé - estão em ótima fase. Faltam apenas nove rodadas, é verdade. Mas o Campeonato está equilibrado, uma sequência de vitórias pode elevar a colocação da equipe. E ainda tem a questão do G-3, que pode voltar a ser G-4. Por que não acreditar? O Vascão parece ter acordado! E agora sonha...

Um pouco mais: por outro lado, o Corinthians parece ter perdido o fôlego na briga pelo título. Literalmente. Sem os velozes Dentinho e Jorge Henrique, o Timão perdeu movimentação, agilidade e se tornou um time previsível - já era, verdade é essa - e lento. A criatividade que restava foi perdida com a lesão de Bruno Cesar. Fora de campo, crise, dificuldade em encontrar um treinador e pressão da torcida por resultados. Seis jogos sem vencer e a queda para o terceiro lugar. Distância de cinco pontos para o líder Cruzeiro. E digo mais: vaga na Libertadores, que antes parecia garantida, ameaçada...

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

A nova do Gaúcho!


Aos poucos, ele vai recuperando a velha forma. Sorte do futebol. Ronaldinho Gaúcho passou por uma fase ruim, foi preterido pelo Barcelona e agora tenta dar a volta por cima. Peça fundamental no time do Milan, Ronaldinho tem mostrado durante os jogos sua variedade de dribles...parece ter recuperado a alegria de jogar bola. Tanto que Mano Menezes pretende assistir a jogos do Milan...também para observar Pato e Thiago Silva, mas com um olhar diferente para um jogador diferenciado. Tomara que volte à Seleção em breve! Para aumentar ainda mais seu repertório de lances geniais, Gaúcho lançou mais uma jogada, digamos, diferente. Assistam à nova obra prima de Ronaldinho Gaúcho no vídeo acima. E aí, você consegue fazer?

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Rumo ao título!

O Jorge Luiz da Serra!
Já há algum tempo, não escrevo sobre o Friburguense no Blog. Mas hoje, quebro esse tabu com muito gosto. A vitória por 3x0 sobre o Bangu, no último sábado, aconteceu de forma segura e convincente. O Frizão do técnico - e meu amigo - Anderson Alves é um time consciente com a bola nos pés e forte na marcação. A equipe possui uma boa variação de jogadas ofensivas, quase sempre pelas pontas com Sergio Gomes e, principalmente, pela esquerda com Flavinho. O ataque compensa a falta de uma referência com muita movimentação. Contra o time de Moça Bonita, Alves e Felipinho (o artilheiro Ricardinho começou no banco, se recupera de lesão) impuseram correria e deram um trabalho tremendo à defesa carioca, que só foi encontrá-los no fundo das redes - cada um marcou um gol. Na defesa, nem mesmo a ausência de Cadão prejudicou. Bidu foi recuado para a zaga, ao lado de Diego Guerra (como tá jogando esse garoto...e pensar que fiz escolinha de futebol com ele, inclusive conquistando títulos juntos!) e foi um gigante. Na cabeça-de-área, outro monstro: Leomir. Se tem alguém que tem aproveitado bem as oportunidades devido a lesões é Leomir. Bem na marcação e na saída de bola, protege e arma contra ataques com eficiência. No gol...ah, sou até suspeito pra falar. Sou fã número do Marcos: uma pessoa humilde e talentosa, um excelente profissional. No sábado, se contundiu e foi substituido por Adilson. Pensam que o nível caiu? Bastaria ver a defesa do camisa 12 em seu primeiro lance: sensacional, no cantinho esquerdo, em cabeçada à queima-roupa. É outro que tem futuro...este é um breve resumo do Friburguense versão Copa Rio. Mas, parafraseando Joel Santana, falta a cereja do bolo. Falta ao time? Não, falta eu falar sobre. Trata-se de Jorge Luiz, o camisa 10 do tricolor serrano. Dá gosto vê-lo jogar. Cabeça em pé, visão de jogo, dificilmente erra um passe...coloca a bola onde quer com a perna canhota. E ainda faz gols, como diante do Bangu, seu terceiro na competição. A empolgação com as atuações do meia não se restringe a mim...nas arquibancadas, surgiu o apelido de o Paulo Henrique Ganso da Serra! Eu, o entrevistando, tive a curiosidade de perguntar o que achava da comparação. Humilde, respondeu que estava longe...e preferia ser chamado de outra forma. Seu pedido é uma ordem, maestro! O Jorge Luiz da Serra! Esse é o Frizão, rumo ao título!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Apesar de tudo, foi bom...

O empate entre Flamengo e Avaí, apesar de tudo, foi um bom resultado para o rubro-negro...antes das críticas, deixe eu me explicar. Há uma semana atrás o Fla vivia crise com a saída de Zico, resultados ruins e diferença de dois pontos para a zona de rebaixamento. A demissão de Silas foi o ápice desta fase negra.Aí veio Vandereli Luxemburgo, parra realizar sua vontade de retornar ao clube e o sonho dos torcedores. Pela frente, dois jogos contra concorrentes diretos na briga pelo descenço. Resultado? Quatro pontos conquistados, aumentando a distância pro Z-4 para 5 pontos. Além disso, algumas alterações na equipe e melhora no rendimento de alguns jogadores. Como Renato Abreu,visivelmente melhor fisicamente. Luxa teve coragem de barrar Deivid e escalar Val Baiano. Ah, este sim! Cresceu demais de produção, foram três gols em dois jogos. Apesar de ter colocado 2x0 e ter cedido empate - levando dois gols que não se pode tomar, de escanteio - o pontinho conquistado em Floripa tem seu valor. O Fla de Luxemburgo ameaça reagir no Brasileirão, mas precisa viver cada dia. E hoje, a realidade do Mengo ainda é brigar para não cair. Mas está no caminho certo para exorcisar este fantasama e, quem sabe, arrumar uma vaguinha na Copa Sul-Americana do ano que vem.

Botafogo 0x0 Palmeiras: mais uma vez, Fluminense e Corinthians tropeçam e o Botafogo não consegue a vitória para encostar no G-3. São oito jogos sem vencer, sete empates consecutivos. Ao todo, 14 igualdades, sendo 10 em seu estádio. Se destes jogos no Engenhão tivesse vencido cinco, hoje seria líder do Brasileirão. Mas não o fez. O Glorioso, dentro de suas limitações devido aos desfalques, até joga bem. No entanto, abusa de perder gols. Ontem, Loco Abreu despediçou grande oportunidade e um pênalti. Jobson perdeu outra grande chance. E assim, o Bota não perde...mas também não ganha. Não sobe e nem desce. Apenas lamenta e vê a distância para o líder em 10 pontos. E pro G-3 em 5 pontos.

Vasco 3x3 Grêmio: o Vasco é outro. Décimo quarto empate, o sétimo em casa. Perde pouco, ganha menos ainda e empata demais! O resultado...bom, basta olhar para a tabela e ver que o time de São Januario não sai dali do meio, posição intermediária. O Gigante chegou a estar vencendo por 3x1. Mas foi castigado com gol aos 43 minutos do segundo tempo. à exemplo do clássico contra o Botafogo, deu mole no fim. Aos poucos, a motivação vascaína na competição diminui. Chances de cair, quase zero. De Libertadores, cada vez menores. O Vasco entrará em campo nas últimas rodadas apenas para cumprir tabela...e poderia ser bem diferente.

Cruzeiro 1x0 Fluminense: e o Brasileirão tem novo líder. Merecidamente. O time que ganhou 23 dos últimos 30 pontos disputados. Dez destes nas últimas cinco rodadas, enquanto o Flu fez sete e o Corinthians apenas dois. Por isso, colou nos líderes e pulou para o topo. Mas até que o Flu jogou bem. Só não aproveitou as chances de gol...diferente do eficiente Cruzeiro. Prova disso é o fato de ter vencido sete dois 15 jogos em que triunfou por 1x0, assim como ontem. Enquanto isso, o tricolor venceu apenas quatro jogos dos últimos 10. Perder a liderança foi consequência desta irregularidade. Abre o olho, Muricy!

sábado, 9 de outubro de 2010

Palpites da decisiva rodada!

A 29ª rodada pode definir muita coisa. Comecemos pela parte de baixo da tabela. Acho que uma vitória do Flamengo sobre o Avaí (embora não seja meu palpite), em Florianópolis, livra o rubro-negro do rebaixamento. Um tropeço do Goiás, em casa diante do Vitória complica muito a vida dos goianos. Na parte de cima, o Botafogo joga tudo contra o Palmeiras. Não vencer significa ter de se consolar com uma vaga na Copa Sul-Americana do próximo ano. Santos e Atético-PR fazem o jogo da sobrevida na briga pelas primeiras posições. Para o Vasco, derrotar o Grêmio é coninuar sonhando (embora esteja um pouco distante) com Libertadores, já que pode chegar a 43 pontos caso vença o tricolor gaúcho e o Corinthians, no jogo atrasado. Timão e Inter tem a obrigação de vencer Atlético-GO e Atlético-MG, respectivamente, jogando em casa - com todo respeito a Dragão e Galo, que esboça uma reação semelhante a do Fluminense no ano passado. Falando em Fluminense, o tricolor carioca faz o grande jogo da rodada contra o Cruzeiro. Este sim, pode decidir o título. Uma vitória da Raposa e a liderança será azul. E posso dar um palpite? (claro que posso, o post não é pra isso?) Se o Cruzeiro assume a liderança agora e o Corinthians não conseguir tirar a diferença no jogo atrasado...o time de Cuca não perde mais o caneco. Mas e se o Flu aprontar em Minas Gerais? Aí...segura o time de Murcy!

Jogos de sábado:

Santos 1x1 Atlético-PR: promessa de ótimo jogo. Aposto em empate.

Prudente 1x3 São Paulo: tricolor de Capergiani afunda ainda mais o Prudente.

Vasco 2x2 Grêmio: outro bom jogo, outro empate. Jonas marca e Eder Luis também.

Jogos de domingo:

Avaí 1x1 Flamengo: Mengo de Luxa vai embalado pela vitória de quinta-feira, mas terá pela frente o desesperado Avaí que, em sua casa, não é fácil de ser batido. Fla traz um pontinho importante na bagagem.

Corinthians 2x0 Atlético-GO: Timão faz sua parte e vence em casa.

Goiás 1x0 Vitória: o verde da esperança continua aceso (me desculpe o Flu, pelo plágio!)

Cruzeiro 3x2 Fluminense: vitória azul. Liderança azul. Brasil azul. Este é meu palpite.

Botafogo 2x0 Palmeiras: coisas que só acontecem ao Botafogo...time vence e ainda sonha com Libertadores.

Ceará 2x1 Guarani: no Castelão, quem manda é o Vovô.

Internacional 2x2 Atlético-MG: Galo arranca empate heróico no Beira-Rio e segue se recuperando.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Com dedo de Luxa e gol de Val Baiano!

E na estéia de Luxemburgo no comando do Flamengo, uma vitória providencial. O Mengo respira, abre cinco pontos de vantagem em relação à zona de rebaixamento e viaja mais tranquilo para Florianópolis, onde enfrenta o Avaí no domingo. Se não deu na técncica - eta joguinho ruim neste aspecto - foi na raça. O Fla parecia mais motivado, e de fato estava. Vanderlei sabe motivar sua equipe como poucos. E a torcida rubro-nera espera que saiba observar também. Afinal, o rubro-negro carioca apresentou os velhos defeitos: meio-campo sem criatividade e movimentação - parece de pebolim - e poucas finalizações ao gol adversário. Mas aí...brilhou a estrela de Luxemburgo. Ele que colocou Diego Maurício ainda no primeiro tempo, na vaga do contundido Diogo. E o garoto foi o melhor em campo, não só pelo gol, mas pela vontade e movimentação (correu mais que o meio-campo todo junto!). Como se não bastasse, Luxa apostou em Val Baiano...é porque foi Luxemburgo quem colocou, se fosse o Silas...mas enfim. Não é que deu certo? Cruzamento de Marquinhos e gol dele...Val Baiano (!), cabeceando com estilo - não é ironia - no canto do goleiro Marcio. Depois ele perdeu uma chance inacreditável, mas vá lá...já tinha feito um, o Fla vencia por 2x0...tá perdoado! O interessante é observar que, nos dois gols do Flamengo, houve participação direta das três substituições feitas pelo treinador. Tem estrela esse tal de Vanderlei Luxemburgo? Ah, se tem! Jejum de cinco jogos sem vencer quebrado, com dedo de Luxa e gol de Val Baiano!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

666...6! Quanta assombração!

Pois é, caros leitores alvinegros. Se a sorte antes estava ao lado do Botafogo, agora está passando longe do time de Joel Santana. Não bastasse perder Maicosuel e Fabio Ferreira - o zagueiro que melhor se antecipa no futebol brasileiro! - por longo tempo, o Fogão tem em média seis desfalques por partida. E o reflexo está nos sete jogos sem vitórias, seis empates consecutivos - a empatite pegou forte! Ontem, diante do Guarani, o jogo do 666 - seis anos sem enfrenter o Bugre em Campinas, seis jogos sem vencer até então, seis desfalques -...6! Sim, mais um seis, que representa a quantidade de erros do Glorioso que impediram a equipe de aproveitar os vacilos de Corinthians e Fluminense e encostar nos líderes. Vamos a eles. O primeiro erro esteve na escalação. Tudo bem, a característica do time muda com tantos desfalques. Hoje, o Botafogo deixou de ter o ataque como melhor defesa e virou time de contra ataque. Joel Santana colocou três zagueiros, dois cabeças-de-área e mais dois volantes nas alas, ou seja, sete defensores - me lembro de ter escrito isso aqui uma vez já! Quantidade, não significa qualidade e a defesa alvinegra esteve desarrumada durante todo o jogo. Prova disso foi o gol de Barbosa de cabeça, jogador baixinho, que mostra a deficiência no posicionamento da cozinha do Bota. Mal atrás e sem criatividade na frente, o Glorioso achou um gol no fim do primeiro tempo. E põe na conta do Abreu! Ou melhor, do casal 30: cruzamento preciso de Herrera e cabeçada de El Loco para as redes. O Fogão melhorou no segundo tempo, devido as entradas de Edno e Caio, que tornaram o Bota mais ofensivo - por favor, Papai Joel...será que você observou isso? E aí entram os outros cinco erros: exatamente o número de chances claras desperdiçadas pelo alvinegro. Uma com Herrera - que foi fominha e não tocou para Loco Abreu, sozinho -, a bola na trave de Caio - mais azar que erro do garoto -, as chances de Edno e Renato Cajá e, principalmente, a de Loco Abreu, livre na marca do pênalti, batendo pra fora de perna esquerda. Não, não se pode cruxificar o uruguaio. Jogou muito de novo, não só pelo gol, mas pela inteligência e participação. E assim, o sonho de título se transforma em sonho de Libertadores. Se continuar assim, o sonho de Libertadores vai virar o consolo pela vaga na Sul-Americana. Ah, Botafogo...quanta assombração!

Fluminense 0x3 Santos: a inspiração de Zé Love assombrou o Engenhão. Para o Fluminense, foi um daqueles dias em que nada dá certo e dá tudo certo ao mesmo tempo. Explico. Dentro de campo, sem Mariano e Deco, um time extremamente dependente de Conca, que não brilhou como nos últimos jogos. Ao contrário de Zé Eduardo, que fez três gols e garantiu a vitória paulista. Agora, vamos combinar. Dois deles...não se vê todos os dias. O terceiro não, gol de contra ataque e méritos para a bela jogada de Alex Sandro pela esquerda. Mas os dois primeiros...bem, só entra naqueles dias em que nada dá certo. Mas, ao mesmo tempo, tudo deu certo para o tricolor! O Atlético-MG conseguiu virada sensacional sobre o Corinthians e manteve o Fluzão na ponta do Brasileirão...só não sabemos até quando a sorte estará ao lado do time de Muricy Ramalho. E outra: cuidado com o Cruzeiro, que pode assumir a vice-liderança e ficar a um ponto do Flu hoje...sai pra lá, assombração azul!

Atlético-PR 0x0 Vasco: é até irônico dizer isso do time que sofre com a grande quantidade de empates - 13, o que mais empatou no Campeonato ao lado do Botafogo - mas...o empate na Arena da Baixada foi um bom resultado para o Vasco. Especialmente por três fatores: a dificuldade de enfrentar o Furacão em sua casa, a boa campanha de recuperação do time paranaense (já é o quinto colocado!) e o que foi o jogo. As melhores oportunidades, ainda que raras, foram do Atlético. Os desfalques de Carlos Alberto, Felipe e Ramom pesaram, são jogadores que podem decidir em um lance, um contra ataque. Sem eles, a esperança fica nos pés de Zé Roberto e Eder Luis, que ontem não brilharam como nos jogos anteriores. Tá difícil de curar essa empatite...será assombração?

Um pouco mais: hoje, é a vez do Flamengo. Contra o Atlético-GO, a estréia de Vanderlei Luxemburgo. A importância da vitória aumentou após o triunfo do Atlético-MG, que diminuiu a diferença entre rubro-negro e zona de rebaixamento para dois pontos. O adversário está quatro pontos atrás...ou seja, uma vitória goiana em Volta Redonda e a distância pro Z-4 será de um ponto. O fantasma do rebaixamento anda assombrando a Gávea...

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Ter Luxa pode ou não ser Luxo...

Após quase uma semana sem atualizações, o Blog Futebol e um pouco mais está de volta! Sabem como é...período de provas, bastante trabalho, alguns dias passando mal...enfim, coisas da vida! Mas quem terá uma grande prova de fogo a partir de agora é Vanderlei Luxemburgo. A história teve todo o seu desenrolar de acordo com o previsto: Luxa demitido do Atlético-MG; Silas colecionando maus resultados no Fla; saída de Zico e demissão de Silas; namoro antigo entre Flamengo e Vanderlei se tornando casamento. A competência, currículo e capacidade de Luxemburgo são inquestionáveis. Um técnico cinco vezes Campeão Brasileiro, que já dirigiu Real Madrid e Seleção Brasileira não é um qualquer. Comandar o Flamengo pode ser a motivação que faltou nos últimos trabalhos do treinador, que sempre deixou explícito o sonho de voltar a Gávea - foi técnico do rubro-negro em 1991 e 1995. No Santos e Atlético-MG, Vanderlei parecia desanimado, dizem até (os que o acompanhavam de perto) que nem estudava mais os rivais como sempre fizera e não se preocupava com treinos táticos, algo que sempre o diferenciou dos demais. Pois no Mengo, terá um desafio à altura de sua competência, com um elenco relativamente fraco e sem condições físicas ideais. Tanto que já assume a classificação para a Copa Sul-Americana como um resultado a ser comemorado. Interessante observar a exigência feita pelo treinador ao assumir o Flamengo: quer a finalização imediata das obras no CT Ninho do Urubu - será que agora, finalmente, vai? -, onde pretende realizar todos os treinos da equipe, "aposentando" a Gávea. Ora, parece ser nada demais. No entanto, Luxemburgo perdeu um grande aliado nesta batalha por melhor estrutura: Zico, que tanto lutava e priorizava o término das obras do CT. Aliás, Vanderlei Luxemburgo, como Manager que sempre foi e será no Fla, gosta de ter autonomia. Seja para tomar decisões sobre onde treinar, quem escalar ou contratar. Justamente a autonomia que Zico não teve como diretor executivo e foi um dos fatores que motivou sua saída. Pois é...ter Luxa pode ou não ser Luxo...

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

O fim da curta Era Zico

Mal começou, já terminou. Na madrugada desta quinta-feira, Zico anunciou sua saída do cargo de dirtetor executivo do Flamengo. A notícia surpreendeu a todos, mas de certa forma era esperada. Em quatro meses de trabalho, foram poucos resultados e muitos problemas. Dentro de campo, dois técncios diferentes, a perda de Adriano e Vagner Love a as apostas equivocadas em Leandro Amaral, Val Baiano e Borja. Fora dele, o caso Bruno e a pressão contra algumas atitudes do Galinho, dentre elas manter o técnico Silas no cargo. Pois Zico, em sua carta de demissão, justificou dizendo sofrer pressões e desconfiança por parte do Conselho Fiscal do clube. A gota d'água foram as acusações de que seus filhos teriam participado das transações de Val Baiano, Leandro Amaral e Borja, com o ídolo levando vantagem financeira. O fato é que nada disso foi provado contra Zico. A crise está instalada de vez na Gávea e o futuro do Flamengo é uma grande incógnita, dentro das quatro linhas - onde tem um time fraco e está ameaçado de rebaixamento - e fora delas, onde o caso ainda vai dar muito o que falar. Certo mesmo é que o Flamengo não perde somente um diretor executivo. Perde o ídolo, a imagem de confiança, respeito e credibilidade que Zico construiu ao longo de sua vida profissional e pessoal. Perde alguém que sonhava em construir uma estrutura digna, do tamanho do Flamengo, com a conclusão das obras no CT Ninho do Urubu e investimentos nas divisões de base. Chega ao fim a curta Era Zico. E deixa um gostinho de quero mais pra nação rubro-negra...

Um pouco mais: se Silas ainda está no comando do Flamengo é porque Zico o bancou. Com a saída do Galinho, o futuro do treinador parece ser cada vez mais distante da Gávea. Com uma derrota para o Botafogo, certamente será demitido. E me arrisco a dizer que nem um resultado positivo no clássico segura Silas no Flamengo por muito tempo...