segunda-feira, 29 de novembro de 2010

ConTartágem regressiva!

Apenas 90 minutos, um jogo, uma vitória. É o que falta para o torcedor do Fluminense soltar o grito de Campeão Brasileiro, entalado há 26 anos na garganta dos tricolores. Ontem, o Flu bateu o Palemrias por 2x1 em jogo cercado de pôlemica. Teria o Verdão facilitado a vida carioca? Não sei, sinceramente. Talvez sim, ralvez não. O fato, e isso foi fácil perceber, é que o Fluminense fez o que tinha de fazer: entrou em campo voando, tomando a iniciativa, marcando no campo do adversário. Tomou um gol numa infelicidade de Leandro Euzébio e felicidade tremenda de Dinei. Agora eu questiono: imagina o que é para um jogador macar um gol - no caso um golaço! - e ser vaiado e xingado pela própria torcida?  Qual a motivação palemeirense para buscar o segundo, terceiro...ser hostilizado de novo? Pois bem. o Flu continuou bem no jogo, tranquilo, na sua...perdeu Deco machucado, mas ganhou Tartá. Sim, ganhou. o garoto, iluminado, marcou o gol da vitória tricolor - claro, não podemos esquecer que antes Carlinhos empatou a partida com um belo gol de perna direita. Daí em diante, o Fluminense cozinhou o jogo diante de um Palmeiras desinteressado. Pra que se arriscar? Agora falta pouco. Muito pouco. O Brasil começa a ganhar as cores verde, branco e grená do clube tantas vezes campeão...a conTartágem regressiva já começou...

Botafogo 3x1 Prudente: A chama ainda está acesa, o Fogão tá vivo! A vitória sobre o Prudente no Engenhão mantém o sonho alvinegro de disputar a Libertadores de 2011. O Glorioso repetiu os velhos problemas de sempre no jogo de ontem: meio-campo lento, sem poder de criação...precisou Antônio Carlos marcar seu sétimo gol no Brasilerão para abrir o caminho para o Bota. Depois de Edno marcar o segundo, o time paulista diminuiu. Pronto. Começou a passar aquele filme na cabeça do alvinegro...será que vai cerder o empate de novo? Não desta vez. Contra o fraco Prudente o Fogão não foi imprudente, marcou mais um e venceu. Agora, basta (???) vencer o Grêmio no Olímpico para terminar no G-4. O empate é do tricolor Gaúcho. Depois, basta (???) secar o Goiás na Sul-Americana. Tá fácil pro Fogão? Nada, nunca, foi tranquilo para o Botafogo. Talvez isso justifique o apelido de "O Glorioso". É emoção até o último minuto! Mas cá entre nós...o torcedor alvinegro já está acostumado...

Flamengo 1x2 Cruzeiro: o Flamengo perdeu a batalha. Mas saiu de campo mais feliz que o Cruzeiro. Tudo porque o rubro-negro, com empates de Vitória e Atlético-GO não tem mais riscos de cair para a segunda divisão. Já para a Raposa, a vitória nada mudou em termos de título. A situação continua a mesma: terá de vencer o Palmeiras e secar Flu e Timão. Muito difícil. Sobre o jogo, foi equilibrado. O Cruzeiro esteve longe de suas melhores atuações. O Flamengo foi aquilo né...até bem arrumadinho, explorando o Leo Moura...mas cadê a qualidade? Algo que o time mineiro tem nos pés de Montillo. Em um lance, colocou na cabeça de Thiago Ribeiro: 2x1, de virada. Mas o importante mesmo para o Flamengo foi se livrar dos riscos de queda. Êta estrelinha tem esse clube da Gávea! Ufa!

Corinthians 2x0 Vasco: não! O Vasco não entregou o jogo! O caso é semelhante ao do Palmeiras: a diferença de motivação. Ou alguém acha que o Vasco, já sem pretensões no campeonato, entraria com a mesma vontade de um postulante ao título, o Corinthians? Derrota absolutamente nomal. o Vasco até jogava bem até tomar o primeiro gol, infelicidade de Dedé e Prass. Depois...bem. Imagine um diálogo entre o técnico PC Gusmão e os jogadores: temos que buscar a vitória! Se não...pois é. Se não o que? Esse é o grande diferencial. Claro, justiça seja feita. Nenhum vascaíno vai dizer: vamos virar o jogo para ajudar o Fluminense...

Um pouco mais: a partir destas situações de entrega, mala branca e não sei mais o que podemos questionar a até então inquestionável fórmula dos pontos corridos. Os últimos jogos neste modelo de torneio reservam algumas discussões: é justo o Fluminense jogar nas últimas três rodadas contra dois times sem motivação e outro já rebaixado? Outra: se uma das grandes críticas ao mata-mata eram as "férias" antecipadas aos times eliminados...o que podemos dizer de um Vasco, um Ceará da vida? Estes já estão de férias há umas cinco rodadas, verdade é essa. Não estou me posicionando contra ou a favor dos pontos corridos. Apenas questionando a tal justiça irrevogável que muitos atribuem ao sistema. Acho que ainda não encontramos uma fórmula de campeonato ideal...

sábado, 27 de novembro de 2010

Palpites da penúltima rodada...

Botafogo 2x0 Prudente: Fogão de volta ao G-4! Na última rodada, é decisão contra o Grêmio

Atlético-GO 1x0 São Paulo: adeus Série B! Renê Simões cumpre mais uma missão impossível

Corinthians 2x0 Vasco: Timão tá vivo até a última rodada! Em vão...

Internacional 1x2 Vitória: vence o mais interessado

Flamengo 1x1 Cruzeiro: ruim para os dois

Atlético-MG 2x0 Goiás: Galo de primeira!

Avaí 1x0 Santos: esperança até o fim em Floripa!

Palmeiras 0x2 Fluminense: só vai faltar um joguinho para o bi, Fluzão!

Guarani 1x0 Grêmio: Fogão agradece; Bugre cai mesmo vencendo

Ceará 0x0 Atlético-PR: Fogão agradece, parte dois!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

"Amigo...dá uma ajudinha aí?

Reta final de Brasileirão. Apenas duas rodadas separam o Fluminense do bicampeonato (por enquanto bi, certo Léo?) brasileiro. Mas a conquista pode acontecer de forma antecipada, caso o tricolor vença o Palmeiras, o Cruzeiro não triunfe e o Corinthians seja derrotado. Mas o curioso é o envolvimento de grandes rivais nesta história toda. Para o Flu ser campeão, são necessários tropeços de Raposa e Timão que enfrentam...Flamengo e Vasco! Sim...para o Fla a questão vai além de ajudar o Fluminense. Uma vitória ou mesmo um empate significa a permanência do rubro-negro na primeira divisão nacional. Agora...para o Vasco, tanto faz como tanto fez perder, ganhar ou empatar. Repararam outra coisa? Quem é o adversário do Fluminense, que o Corinthians precisa torcer a favor? Pois é...o Palmeiras! Quando observamos as entrevistas de jogadores percebemos algo interessante. O meia Felipe, do Vasco, questionou: "vou correr para ajudar um rival?". Roger, do Cruzeiro, admitiu que sempre rola uma "entregadinha" e acredita que o fato se repetirá no jogo Verdão x Tricolor. Para Marcelinho Carioca, ex-jogador e ídolo corinthiano, é "mais fácil chover canivetes que o Palmeiras vencer e beneficiar o Timão". Diante das declarações, fica o questionamento: até que ponto a fórmula por pontos corridos é justa neste sentido? Ou não é a fórmula, e sim, questão de honra e profissionalismo entre as equipes envolvidas? Fato é que, perguntando a um torcedor vascaíno ou palmeirense se ele ajudaria o rival, certamente a resposta da maioria será negativa. Nesta confusão toda, melhor para o Fluminense que só depende de si para levar o caneco: basta vencer as duas. Mas fico imaginando...um rival dependendo do outro...como seria uma hipotética conversa entre eles? "Amigo...dá uma ajudinha aí?"...

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Entregou?

Todo ano é a mesma coisa...alguns times chegam ao final do Campeonato com chances de título, Libertadores ou rebaixamento. Outros ficam ali, no meio da tabela, sem grandes pretensões. E estes muitas vezes acabam sendo o foco das atenções. A rivalidade estadual entre clubes chega ao ponto de uns acusarem outros de facilitar a vida do adversário para prejudicar o rival, a famosa entregada. Ontem na Arena Barueri, o Fluminense goleou o São Paulo por 4x1, retomou a liderança e ficou a duas vitórias de levar o Bicampeonato nacional. A questão é: o São Paulo entregou para prejudicar o Corinthians? A torcida  paulista comemorou os gols do tricolor...só que do carioca. Normal, coisas de torcedor. Mas dentro de campo, sinceramente, não acredito em entrega. O Flu foi mais time durante todo o jogo. A diferença fica por conta da motivação. Ou vocês acham que o São Paulo, com remotas chances de Libertadores, entraria com a mesma gana do Fluminense, candidato real ao título? Se a diferença foi a motivação, o diferencial foi Conca. Com o argentino inspirado, o Flu rende, joga e vence. Agora, o tricolor das Laranjeiras depende só de suas forças para levar o caneco. Eu, que não acreditava mais, me rendo à competência e sorte do Fluminense de Muricy Ramalho. E arrisco dizer: pode entregar a taça para o Fluzão...

Botafogo 1x2 Internacional: a torcida Colorada pediu para o time entregar e atrapalhar a vida do Grêmio. Mas quem entendeu o recado foi o Botafogo. Derrota que acaba com invencibilidade de sete meses - 21 partidas - no Engenhão, joga o Glorioso para sexto lugar e complica a vida da equipe carioca na briga por vaga na Libertadores. Terá de vencer as duas últimas e secar Grêmio e Atlético-PR, lembrando que na última rodada enfrenta o time gaúcho no Olímpico. Pois é...nos últimos nove pontos disputados, apenas dois conquistados. Ontem, em um replay do que aconteceu diante do Ceará, Márcio Rosário e Lenadro Guerreiro entregaram o primeiro gol ao Inter. Desorganizado e dominado no meio-campo, novamente lento e inoperante, o Botafogo não conseguiu marcar o trio Andrezinho, Sóbis e Leandro Damião, tampouco criar. Nas poucas chance que teve, a bola caiu nos pés errados. Nos pés de Fahel. Sim, méritos para o goleiro Muriel, mas foram gols mais perdidos que salvos. Na etapa final, Joel tentou Jobson e Caio. Melhorou ofensivamente, ficou mais rápido. No entanto, a defesa continuou bagunçada e o Bota levou o segundo. Diminuiu com gol irregular de Antônio Carlos. Poderia até ter empatado com Edno. Sinceramente, não merecia. Assim, o Fogão complica sua vida...que parecia tão resolvida! O Botafogo sim, entregou...

Flamengo 2x1 Guarani: foi sofrido, suado, mas foi! O Mengo venceu sua 'decisão' contra o Guarani e respira um pouco mais alividado. Não pode bobear, os outros times estão na cola. Mas acho que só mesmo um desastre rebaixa o rubro-negro. Empurrado por 40 mil torcedores, o Fla abriu o placar rapidamente com golaço de Renato (esse sim é o "Urubu-Rei" que a torcida quer!). Aí...quase que Marcelo Lomba entrega! Luxemburgo pode até tentar defendê-lo, não poderia ser diferente...mas ele falhou! Coube ao "D" excluido do ataque 3D entrar e resolver. Diego Mauricio, que entrara na vaga de Deivid (pra alívio da galera!) fez o segundo do Mengão. Tranquilo? Que nada! Segundo tempo tenso...Lomba inseguro, jogadores discutindo entre si, Guarani mais presente no campo ofensivo...só que o Flamengo se segurou e não entregou o ouro! Um passo importante para permancer na primeira divisão. Não decisivo...

Cruzeiro 3x1 Vasco: a tranquilidade do Vasco neste fim de Brasileirão parece ter contagiado a equipe dentro de campo. O Vascão entrou dormindo e entregou três gol de escanteio para o Cruzeiro. Veja bem o signifcado desteentregou...não estou dizendo que o time da Colina facilitou para a Raposa. Apenas existia uma diferença de motivação, como no Flu x São Paulo. Esse entregou é mais no sentido de bobeou. Quem não deu bobeira foi o time Celeste. Garantido na Libertadores de 2011, o Cruzeiro ainda não se entregou e segue vivo na luta pelo título...

domingo, 21 de novembro de 2010

Superclássicos: The North London Derby

                         

A série sobre os superclássicos mostra uma das maiores rivalidades do futebol Inglês: Arsenal x Tottenham. Conhecido como The North London Derby - o clássico do Norte de Londres, localização das sedes dos clubes - foi disputado pela primeira vez em 11 de Novembro de 1987, com vitória do Tottenham por 2x1 em jogo que terminou 15 minutos antes de tempo regulamentar por deficiência na iluminação. Alguns números ajudam a entender a grandeza de Gunners (canhões, em alusão ao símbolo do clube) e Spurs (esporas): o Arsenal detém o recorde de invencibilidade da Liga Inglesa (49 partidas na temporada 1960/1961) e o Tottenham de número de vitórias em uma única temporada (31 triunfos, 2003/2004).

Tudo começou em 1913, quando o Arsenal mudou para Highbury a apenas quatro milhas de White Hart Lane, estádio do Tottenham. Durante a Primeira Guerra, as equipes se enfrentaram pelo Torneio de Londres, competição disputada na Inglaterra na época. Os gunners estavam na segunda divisão e os spurs, na primeira. Pois...o Arsenal fez 5x1!

A rivalidade estorou mesmo em 1919. No pós-guerra, a Federação Inglesa decidiu expandir o Campeonato Inglês e colocar mais duas equipes. E o critério utilizado foi...votação (não! Não era a CBF!). O primeiro time a conquistar a vaga foi o Chelsea, 19° colocado na edição anterior e que seria rebaixado para a segunda divisão. A outra vaga foi decidida entre Tottenham, 20° na primeira divisão, Bunrsley, quarto(!) colocado na segunda divisão e mais três equipes da divisão inferior, além do...Arsenal, sexto colocado da segundona!!! Adivinha quem foi eleito? O Arsenal, 18 votos contra 8 do Tottenham. A polêmica foi enorme, não poderia ser diferente! Os dirigentes dos spurs acusaram o Presidente do Arsenal, Sr. Henry Norris, de manipular o resultado por detrás dos panos...de nada adiantou. A resposta do Tottenham veio dentro de campo, com a equipe ascendendo à elite no ano seguinte. Então, de fato, o primeiro duelo entre os rivais na Premier League aconteceu em 1921 (15 de Janeiro), em White Hart Lane, com vitória dos spurs por 2x1. A rivalidade era tamanha que, devido a violência nos jogos seguintes entre as equipes, a Federação determinou que o Derby aconteceria com portões fechados.

O superclássico sofreu um pit-stop entre 1928 e 1950, período em que o Tottenham amargou a segundona na Inglaterra. Desde então, exceto na temporada 77/78, os rivais se enfrentam regularmente na Premier League e somam finais e semifinais históricas em Torneios do país.

Recentemente, um jogador em especial sentiu na pele a rivalidade do Derby. O zagueiro Sol Campbell começou no Tottenham e se transferiu para o Arsenal em 2001. Tão logo foi, ganhou apelido da torcida dos spurs: Judas! Apenas 13 jogadores em toda a história vestiram as duas camisas, sendo que apenas seis jogaram The North London Derby pelas duas equipes.

Mas a relação de rivalidade entre os clubes não fica somente dentro de campo. O Tottenham tem uma forte influência e fãs da comunidade judaica, provocando ofensas anti-semitas contra torcedores do Arsenal. Os adeptos dos Spurs, judeus e não-judeus, uniram-se e apelidaram a si mesmos como Yids, desenvolvendo cantos e uma torcida com o nome, em repúdio a esses atos. Muitos dos fãs adotaram esse nome como resposta ao rival, que já chamavam, de modo pejorativo, a torcida do Tottenham de Yid. O apelido ficou e dura até os dias atuais.

O vídeo acima é a primeira parte da série Football Rivalries sobre Arsenal e Tottenham. Vale a pena assistir a esta e às outras duas partes do documentário.

Números do superclássico:
  • Número de jogos: 164
  • Vitórias do Arsenal: 69
  • Vitórias do Tottenham: 52
  • Empates: 43
  • Gols do Arsenal: 251
  • Gols do Tottenham: 220
  • Maior goleada para o Arsenal: 6x0 - 06/03/1935
  • Maior goleada do Tottenham: 5x0 - 25/12/1911 e 04/04/1983
  • Maior número de gols: Tottenham 4x5 Arsenal - 13/11/2004
  • Maior goleador do Arsenal: Alan Sunderland, 8 gols
  • Maior goleador do Tottenham: Bobby Smith, 10 gols
Os números levam em consideração os jogos disputados até 20/11/2010, ontem, quando o Totenham venceu o Arsenal por 3x2, no Emirates Stadium e quebrou jejum de 17 anos sem triunfar na casa do rival. Mais um capítulo na história do Derby...

sábado, 20 de novembro de 2010

Palpites:

Jogos de sábado:

Grêmio 2x1 Atlético-PR: mesmo sem Jonas, Grêmio vence Furacão e embola disputa por Libertadores

Flamengo 2x0 Guarani: bye bye riscos de rebaixamento!

Prudente 1x1 Ceará: joguinho sem maiores interesses. Empate

Jogos de domingo:

São Paulo 2x2 Fluminense: Flu vê título cada vez mais distante...

Botafogo 2x0 Internacional: ...e Bota vê Libertadores mais perto

Palmeiras 1x2 Atlético-MG: Galo também se distancia dos riscos de ser rebaixado...

Vitória 1x2 Corinthians: campeão se desenhou na última rodada. E não pintou, será tudo preto e branco

Avaí 1x0 Atlético-GO: tudo embolado lá embaixo!

Goiás 1x0 Santos: time goiano até vence...mas cai

Cruzeiro 2x0 Vasco: Raposa não desiste e segue perseguição ao título

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Eu quero ver o Brasil!

Brasil e Argentina entram em campo hoje para jogo amistoso, em Doha. Apesar do caráter político - o Catar será candidato a país-sede da Copa do Mundo de 2022 - a partida será o primeiro grande teste de Mano Menezes no comando da Seleção Brasileira. Mas o maior atrativo do clássico será Ronaldinho Gaúcho. De volta à Seleção após mais de um ano, o craque vai atuar ao lado de Neymar e Robinho no ataque. A simples presença dos três jogadores é suficiente para resgatar algo que se perdeu nos últimos anos: o desejo do torcedor brasileiro em ver a Seleção jogar. Sim...nas esquinas, ruas e bares - poético isso, não? - as pessoas comentam sobre o jogo, Ronaldinho, Neymar...e dizem querer "dar um jeitinho" de assistir ao duelo ou mesmo lamentam a impossibilidade devido ao horário. É isso, caros leitores! Como já comentamos algumas vezes aqui, o trabalho de Mano Menezes à frente da Seleção Canarinho vai além das quatro linhas. Passa pelo resgate da paixão do torcedor pelo Brasil e da imagem de futebol alegre, bonito e ofensivo, sepultado pelo "taticamente perfeito" de Dunga durante a Copa do Mundo. Esse é o Brasil que o torcedor quer ver. E que tem de ser, esta é a essênica do futebol brasileiro. A Suíça, por exemplo, se orgulha de ter uma defesa sólida e quase intransponível. Mas nós, não! A nossa satisfação é ver lances mágicos, geniais, belos gols...se os resultado acontecerem, ótimo. Se não, a cobrança é grande mas o reconhecimento também. Já lancei essa questão aqui no Blog, mas a repito para ilustrar meu raciocínio. O que marcou mais: a eliminação do Brasil de 1982 ou o título Mundial de 1994? Pois é...as lamentações pela eliminação diante da Itália são mais fortes que as comemorações pela conquista do time de Parreira. É nesse sentido que Mano deve trabalhar. E vem realizando até o momento. O famoso equilíbrio, tão comentado e pretendido por treinadores de todo o mundo, no caso da Seleção Brasileira, significa futebol bonito, ofensivo, gostoso de assistir e que dê resultados. Com o talento de Gaúcho, Neymar, Robinho, fica mais fácil atingir o tal equilíbrio. E hoje...eu quero ver o Brasil!

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Um Rio de bobeadas...

O ano de 2010, de um modo geral, tem sido de redenção para o futebol carioca. Começou no fim do ano passado com o título brasileiro do Flamengo na Série A e do Vasco na Série B. Na atual edição, Botafogo e Fluminense brigam pelas primeiras posições; se não foi brilhante, ao menos o Vasco terá um final de campeonato tranquilo. A exceção é o Flamengo, que passou por momentos conturbados dentro e fora de campo e briga pra não cair - mas não vai cair! Além dos grandes, tivemos o Madureira conquistando o acesso para a Série C de 2011; o Macaé batendo na trave e quase chegando à segundona, onde o Duque de Caxias faz um belo papel. O Rio renasce...mas bobeia!

Começou com o Botafogo. Sonhando com título - e com reais possibilidades - enfrentou Avaí, quase rebaixado, e Ceará, sem nenhuma pretensão no campeonato. Jogando de forma covarde nas duas partidas, mais pra não perder do que vencer, e bobeando na defesa contra os cearenses, o Glorioso deu adeus à briga pelo caneco e tem sua vaguinha na Libertadores, tão perto, ameaçada. O pior é olhar pra tabela e ver que, com duas vitórias nestes jogos, a diferença para o líder Corinthians seria de apenas três pontos...

No sábado, o Mengão foi a Minas Gerais enfrentar o Atlético-MG. Resultado? Uma sonora goleada de 4x1 para o Galo que impressionou. Motivo? A facilidade com que o Atlético fez os gols...parecia pelada! Obina, Tardelli e Diego Renan furavam a defesa rubro-negra como queriam, sem intervenções. O goleiro Marcelo Lomba ainda falhou nos primeiros tentos mineiros e o ataque...bem, isso o Flamengo não tem! Inoperante, sem qualidade, inofensivo. Coitado do Luxemburgo...coitado do torcedor rubro-negro que até ontem tinha Love e Adriano. Mas este, como comentamos, não era O jogo do Fla...e sim o próximo, contra o Guarani no Engenhão. Se vencer, não cai. Mas que não continue bobeando...

Ontem tivemos o Vasco enfrentando o São Paulo em São Januario. Não sobe, nem desce...e o motivo ficou claro: a falta de poder de decisão. O Vasco criou, criou, criou...e nada! Apenas um golzinho, no talento individual de Eder Luis. Um lance difícil, um chute de rara felicidade. O time de PC Gusmão teve inúmeras outras chances bem mais claras de gol e...não fez. Aliás, foi assim durante todo o Brasileirão. E estas bobeadas determinaram o papel de coadjuvante do Vasco no Campeonato.

Ah...mas nenhuma bobeada supera a do Fluminense. Trinta e seis mil pessoas no Engenhão, retornos de Deco - mal em campo - e Fred - como joga! - contra o rebaixado (sim, podemos dizer) Goiás. Pois bem...pode ter tido mala branca, azul, alvinegra...mas a obrigação do tricolor era vencer o jogo. Um time infinitamente melhor tecnicamente e motivados pela luta do bicampeonato. O Fluminense, no primeiro tempo, aceitou a marcação do Goiás, muito bem feita por sinal. Nos contra ataques, o time esmeraldino era perigoso e chegou ao gol com Rafael Moura, em ótima fase. Na etapa final, a partida se transformou em ataque contra defesa. E que atuação do sistema defensivo do Goiás, praticamente impecável. Só um erro, o lance do pênalti e gol de empate do Flu. Agora...como o Muricy deixa o Diguinho no banco? Deu outra vida ao meio-campo tricolor. E outra...Fred é craque, joga demais e não discuto isso de forma alguma. Mas se fosse o Washington perder os dois gols que ele perdeu - um que tentou pegar de primeira e outro de cabeça - certamente não seria aplaudido, como aconteceu. Se bem que o coração valente desperdiçou uma da marca do pênalti que eu vou te falar...fato é que o Flu bobeou e perdeu a ponta para o Corinthians. Terá de vencer e secar o Timão. Ainda dá? Sim, claro. Mas não depende mais de suas próprias forças...

Um pouco mais: o jogo entre Corinthians e Cruzeiro foi pra lá de polêmico. Vários impedimentos mal assinalados contra a Raposa e um pênalti claríssimo não marcado. Mas no lance do Ronaldo, em minha visão, houve pênalti. Um lance absolutamente discutível, sobretudo por ter sido dado aos 42 minutos do segundo tempo e depois de tudo o que aconteceu durante o jogo (os impedimentos e o pênalti). Além do mais, fica sempre aquela pergunta: se fosse a favor do Cruzeiro, o juíz marcaria? Bom, sinceramente não sei. Para encerrrar, dois fatos: não é a primeira vez que o Timão é 'ajudado' pela arbitragem. Outra: foi só o Ronaldo entrar em campo, jogar seis vezes e o Corinthians pulou de uma crise para a liderança...é ou não é Fenômeno...

domingo, 14 de novembro de 2010

Superclássicos: Derby della Madonnina


No ritmo do grande jogo deste domingo, a série sobre os superclássicos mostra o Derby della Madonnina. Você pode estar estranhando o nome, mas com certeza já ouviu falar do Derby de Milão, ou simplesmente de Internazionale e Milan. O famoso clássico da cidade italiana, ao norte da velha bota, é conhecido por “Clássico Della Madonnina” em referência à estátua de Nossa Senhora na catedral de Duomo, local histórico de Milão.

O primeiro clássico aconteceu no dia 18 de Outubro de 1908, em amistoso na cidade de Chiasso (Suiça), poucos meses depois de fundada a Internazionale. E já cercado de ressentimentos, pois a Inter surgiu da insatisfação de sócios do Milan com a política elitista e dificuldades para italianos se associarem. Outro motivo: o Milan, fundado por ingleses e suíços, dava mais atenção ao crícket, daí o nome oficial do clube Milan Cricket and Football Club. Só em 1946 o rubro-negro ganhou o nome italiano, Associazione Cálcio Milan, mantendo Milan, como os ingleses chamavam a cidade de Milão.

Inter e Milan dividem o mesmo estádio: Giuseppe Meazza. Porém apenas a Inter o chama pelo nome de registro. Os milaneses chamam de San Siro, bairro onde se localiza. Com capacidade para 84 mil espectadores, em dias de clássico fica totalmente dividido. A inauguração aconteceu em 19 de setembro de 1926 com goleada da Inter sobre o Milan, 6x3.

Sobram histórias, rivalidades, tradição e títulos. A Inter conquistou duas Copas dos Campeões (63-64/64-65), enquanto o Milan possui seis títulos da competição (atual Liga dos Campeões ou UEFA Champions League, como queiram). Nenhum outro clássico Europeu reúne tantas conquistas européias. A Inter ainda é detentora de três títulos de Copas da UEFA, enquanto o Milan possui duas Recopas. A equipe neroazzuri possui 14 scudettos contra 17 da rossonera. A Juventus é a maior vencedora com 27 scudettos.


Em relação às torcidas, polêmica e contradição. A Internazionale surgiu pelo desejo de um clube mais popular. De fato, missão cumprida. Hoje, a Inter possui a preferência de 22% dos italianos, segunda maior torcida do país. O Milan tem a terceira maior torcida do país, 16,4% de torcedores. A Juventus é a mais querida da Itália. Por que escrevi contradição no início do parágrafo? A Inter, nos dias atuais, é considerada o time dos “endinheirados” de Milão, a elite.

Diferentemente de Celtics e Rangers, primeiro superclássico de nossa série, onde a rivalidade e a violência caminham juntas, os torcedores de Inter e Milan fizeram um pacto de não agressão em 1980 e, até então, não descumpriram.O "ódio" maior dos dois times é  pela Juventus.

Você sabia?

- Durante o regime fascista de Benito Mussolini, de 1928 a 1945, a Inter mudou de nome por uma imposição do ditador, que achava Internazionale uma referência à Internacional Comunista. Louco? A história mostra que sim, né? Com a atitude, o clube passou a ser chamado de Ambrosiana durante o período.

- O Milan viveu uma grave crise nos anos 80, sendo rebaixado para a Série B, devido ao envolvimento com a máfia das loterias, o Totonero. Subiu em 82 e caiu de novo em 83, retornando à elite em 84. Com a grave crise e intervenção federal, o clube foi vendido ao magnata das telecomunicações e atual primeiro ministro itialiano, Sílvio Berlusconi. E ele armou uma forte equipe. Contratou craques como os holandeses Rudd Gullit, Rikard e Marco Van Basten. A eles se juntaram os pratas da casa Maldini e Donadonni. O resulatdo não poderia ser outro: em 88, o Milan conquistou o scudetto e a Supercopa da Itália. Desde então "só" mais quatro títulos da Liga dos Campeões.

- Ah! o futebol e suas rivalidades...a torcida da Inter fala é que o Milan sempre se beneficiou com a máfia da arbitragem, junto com a Juventus, para conquistarem os seus títulos. Dizem que a Juve compra os árbitros e o Milan compra a imprensa para pressioná-los. Por isso a torcida da Inter canta em um de seus hinos: “io non rubo il campionato”. Sensacional!

O vídeo acima, filmado por um torcedor, mostra um pouco do clima no Giuseppe Meazza (ou San Siro, escolham) em dias de Derby della Madonnina. Divirtam-se!

Números:

Jogos: 275
Vitórias do Milan: 107
Vitórias da Internazionale: 96
Empates: 72
Gols da Inter: 404
Gols do Milan: 430
Maior goleada do Milan: 6x0, 11 de maio de 2001
Maior goleada do Inter: 5x1, 24 de março de 1974

Obs: números atualizados até o último clássico disputado na Série A 2008/2009

sábado, 13 de novembro de 2010

Palpites da 35ª rodada...

Resumo rápido: Fluzão segue líder; Cruzeiro vence e continua perseguição; Atlético-PR toma vaga do Botafogo no G-4; martírio do Mengão continua até a próxima rodada.

Jogos de sábado:

Atlético-MG 2x0 Flamengo: Galo vence e respira; Mengão perde e se complica, mas derrota o Guarani na próxima rodada e fica tranquilo.

Santos 1x1 Grêmio: empate atrapalha um pouco a vida do Grêmio na luta por Libertadores.

Corinthians 1x2 Cruzeiro: esse é o jogo da rodada! Raposa vence dentro do Pacaembú e segue perseguição ao Fluminense. Aposto no talento contra a força.

Jogos de domingo:

Fluminense 3x0 Goiás: Flu tem retornos de Fred, Deco e talvez Emerson; goianos já jogaram a toalha e projetam Série B em 2011. Futebol é futebol, mas tem como apostar em outro resultado?

Internacional 2x0 Avaí: Colorado vence e afunda ainda mais o fraco time catarinense.

Guarani 1x0 Vitória: Bugre vence e embola briga contra o rebaixamento.

Atlético-GO 2x1 Palmeiras: Verdão com a cabeça na Sul-Americana; Dragão vence e segue com bela campanha de recuperação.

Vasco 2x0 São Paulo: tricolor paulista dá adeus ao sonho de Libertadores; Vasco vence com show do quarteto ofensivo e de Carlos Alberto.

Atlético-PR 3x0 Prudente: idem a Flu x Goiás. Como apostar no lanterna diante do motivado Furacão, na Arena da Baixada? Atlético vence e, merecidamente, toma quarto lugar do Botafogo.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

"Não podes perder, perder pra ninguém"


Agora não adianta, Edno: é tentar Libertadores
Este é o Botafogo versão Brasileirão 2010: um time que leva ao pé da letra o trecho de seu hino "não podes perder, perder pra ninguém". Talvez seja esta a explicação pra tamanha falta de ousadia - e até para o grande número de empates, 17 em 35 partidas. Não pode ser pela qualidade de Avaí e Ceará, pois não possuem nenhuma. Quem conhece o mínimo de futebol sabe que encher o time de zagueiros e volantes, como Joel Santana fez nos últimos dois jogos, não é sinônimo de defesa sólida e segura. Ontem, por exemplo, um show de trapalhadas da defesa do Bota. No primeiro gol, recuo de Marcio Rosario e furada de Leandro Guerreiro. No segundo tempo, Fahel chuta em cima de Guerreiro e a bola na trave. Quase gol do Fogão? Não...acreditem, quase gol do Ceará! Apenas dois exemplos de uma defesa desarrumada, que ainda contou com um meio-campo sem pegada e inoperante ofensivamente. Mesmo assim, quando ousou um pouquinho mais - principalmente no segundo tempo com a entrada de Caio - o Botafogo criou algumas chances, até com certa facilidade. Mas foi pouco. Muito pouco para um time que sonhava ser Campeão Brasileiro. Não, não...um time com grandes ambições não pode entrar em campo pra não perder contra o antepenúltimo e 12° colocados, com todo o respeito. Tem que entrar pra vencer, se impor...afinal é melhor tecnicamente, tem mais time. O medo e a covardia do Glorioso de Joel Santana deixam como saldo dois pontos em seis disputados contra equipes fracas; o adeus definitivo ao sonho do tricampeonato e a vaga na Libertadores, que parecia tão perto, cada vez mais ameaçada. Volto a dizer...a campanha do Bota no Brasileirão é sensacional, acima de todas as expectativas, superando desfalques e desconfianças. Mas vai ficar um gostinho de quero mais, de poderia ter sido melhor. Ou mesmo de nada adiantou caso a vaga na Libertadores escape...

Um pouco mais: não, caros amigos leitores. Não me enganei ao escrever no post acima que o Glorioso deu adeus ao sonho do TRIcampeonato. O documento oficial buscando o reconhecer os torneios nacionais entre 1959 e 1970 como Campeonatos Brasileiros foi entregue à CBF e deve ser oficializado a qualquer momento. Vai dar bastante discussão...o Santos, por exemplo, se tornaria octa campeão, ultrapssando o São Paulo no número de conquistas. O Palmeiras, idem. Na minha visão, o reconhecimento é mais do que justo. Afinal, eram as competições nacionais - Taça Brasil, Taça de Prata e o Robertão - de maior importância na época. Podemos discutir o formato dos torneios - semelhante à Copa do Brasil - e o número de equipes participantes, eram bem poucas. Mas se analisarmos as condições das estradas, a inexistência de aeroportos e ferrovias capazes de promover o deslocamento das delegações em tempo hábil (considerando o Brasil um país de dimensões continenatais que é), a publicidade ainda engatinhando (principalmente durante o período da censura) e toda a logística que envolve o futebol, chegamos à conclusão de que não haveria estrutura para organizar um Campeonato maior, como temos hoje. Era o melhor que dava pra fazer...e foi feito...e foi disputado...e foi vencido por algum clube. Portanto, campeões nacionais. Campeões Brasileiros sim!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Parabéns Coxa! Time de primeira!

Couto Pereira, agora, será salão de festas!
O Coritiba está de volta à Série A do Campeonato Brasileiro! A vitória por 3x2 sobre o Duque de Caxias garantiu o acesso ao time paranaense, um ano após a queda. E não foi um rebaixamento qualquer...teve gosto duplamente amargo, era o ano do centenário do Coxa. Quem não se lembra das cenas de vandalismo no último jogo, quando o Couto Pereira se transformou em um campo de batalha entre torcida, jogadores e policiais? Cenas lamentáveis que agora fazem parte do passado. O Coritiba não recomeçou do zero o ano de 2010. Manteve o técnico Ney Franco no comando da equipe, algo raríssimo na cultura do futebol brasileiro. Enfrentou dificuldades com a punição que sofrera - não pôde atuar em seu estádio por dez jogos durante a Série B. Mas superou a todas elas e a seus adversários, com um planejamento sério e digno de um clube de elite. E foi em São Januário, mesmo palco da conquista do título Brasileiro de 1985, único na história do clube, que o Coritiba renasceu. E resgatou a imagem do clube, arranhada depois das cenas de vandalismo. Pois no próximo sábado, 13, o Couto Pereira pode ser o cenário de novas imagens marcantes para a história do futebol. Mas não por capítulos de violência em um campo de batalha. E sim, um salão de festas por mais uma conquista (basta vencer o Figueirense para levar o título da Série B) do grande Coritiba. Parabéns Coxa! Time de primeira!

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Superclássicos: The "Old Firm"

                         

Abrindo nossa série especial sobre os maiores clássicos do futebol mundial, uma rivalidade que nasceu em 28 de Maio de 1988, quando Celtic e Rangers se enfrentaram pela primeira vez, com vitória do Celtic por 5x2, em Glasgow, maior cidade da Escócia e sede de ambos os clubes. O apelido, "Old Firm" (velha empresa, em português) surgiu em 1909, após segundo jogo da final da Copa da Escócia naquele ano. Uma briga generalizada envolvendo policiais e torcedores dos dois clubes (o primeiro grande confronto viloento na história do clássico) suspendeu a partida. Surgiram então rumores de que as equipes estariam interessadas em realizar um terceiro jogo por motivos econômicos, onde lucrariam em cima do ódio entre as duas torcidas. Por isso, a grande firma, Old Firm.

A rivalidade entre Celtic e Rangers vai além dos gramados e invade os campos da política e religião. Em 1912, um estaleiro em Glasgow adotou como política não contratar pessoas adeptas ao catolicismo. Imediatamente, o problema religioso se transferiu para o futebol, já que o Celtic é o clube dos Católicos e o Rangers dos Protestantes. O Celtic até aceita jogadores de todas as religiões. Mas o Rangers...desde 1890, só podem vestir as cores azul e branco os jogadores adeptos do protestantismo.

Nos jogos entre os rivais, tal rivalidade política é facilmente percebida. Basta olhar para as arquibancadas. Os torcedores do Celtic, em sua maioria escoceses adeptos do catolicismo e irlandeses e descendentes residentes na Escócia, exibem uma bandeira verde com o retrato do falecido Papa João Paulo II e bandeiras da Irlanda e Escócia. Há também os que exaltam o grupo terrorista Católico IRA. Do outro lado do estádio, estão os torcedores do Rangers, em sua maioria devotos do Anglicanismo, ou seja, seguidores da Rainha do Reino Unido. Por isso, grande quantidade de bandeiras britânicas e uma outra enorme, com a foto da Rainha Isabel II (anual do Reino Unido). O grupo UVF (grupo terrorista protestante) é exaltado pelos adeptos do Rangers.

Em termos de títulos, o Rangers leva vantagem no território nacional. São 53 campeonatos escoceses contra 42 do Celtic. Vinte e seis Taças da Liga contra 14 do rival. Desvantagem apenas no número de conquistas da Taça da Escócia, 34 a 32 para o Celtic. Mas quando saímos da Escócia, a coisa muda de figura. O Celtic já conquistou uma Liga dos Campeões - em 1967, quando ainda era Taça dos Campeões Europeus, com os famosos Leões de Lisboa, cidade onde derrotou a Inter de Milão na decisão - além de uma Taça Coronation, Britânica e Império. O Rangers levou apenas uma Taça das Taças.

Atualmente, o Celtic é presença mais marcante no cenário europeu que o rival. Apesar de não barrar mais jogadores não-protestantes, o Rangers perdeu força também no cenário nacional, deixando o Celtic encostar no número de conquistas do campeonato nacional. Apenas ingredientes, detalhes desta que é, sem dúvidas, uma das maiores rivalidade do futebol mundial.

Assistam o vídeo acima e sintam um pouco deste clima do superclássico "Old Firm".

Estatísticas de Celtic x Rangers:

Jogos: 549
Vitórias do Celtic: 179
Vitórias do Rangers: 235
Empates: 135

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Covardia, apatia e o adeus ao título...

Lucio Flavio: retrato da apatia alvinegra
Em campo, Botafogo e Avaí. O alvinegro em quarto lugar, brigando por Libertadores e sonhando com o título. O time catarinense em 18°, com oito desfalques e desesperado na luta contra a degola. O cenário apontava o Fogão como franco favorito para conquistar três pontos e seguir firme sua perseguição aos líderes. Mas...a covardia e apatia da equipe não deixram as previsões se confirmarem e o jogo acabou 0x0. Nem parecia com vontade de conquistar o título. E junto com a falta de gols e coragem, a falta de esperanças em ser Campeão Brasileiro após 15 anos de jejum. De que adianta estar 13 jogos invicto e destes vencer apenas quatro? Pois a tabela de classificação mostra que nada! Sim, claro...o Botafogo ainda é quarto colocado, faz grande campanha, acima de quaisquer expectativas e tem tudo pra chegar à Libertadores de 2011. Mas fica o sentimento de que poderia mais se fosse mais ousado. Ousadia esta que faltou, não só ontem, como em outros jogos. A diferença é que desta vez o ataque não funcionou, o Glorioso não conseguiu achar um gol como fizera, por exemplo, contra o Atlético-MG. E aí a estratégia da retranca foi por água abaixo...não faltou pontaria, como Joel dissera. E sim, criar chances para testar essa tal pontaria. De novo - juro, esta é a última vez que escrevo isso aqui...toda vez que ele jogar, subentendam que foi isto o que aconteceu - Lucio Flavio foi lento, inoperante, irritante. Foi ele sair, entrar o Renato Cajá e dar dois (apenas dois!) piques, o time sair um pouco de trás, colocar o mínimo de vontade (algo que faltou durante o jogo) e o Botafogo criou duas boas chances de gol. Era pra ter tanto medo do Avaí, com todo respeito? Digo mais: era pra ter emaptado tanto neste campeonato? Dava para estar no topo. Enfim...a campanha do Bota é digna de orgulho de seus torcedores, bem como o trabalho de Joel Santana. Mas dava (ainda dá, apesar de difícil) pra ser melhor. Não fosse a covardia e apatia em alguns jogos...

Flamengo 0x1 Atlético-PR: o perigo de rebaixamento assusta. A distância de apenas quatro pontos para o Z-4 assusta. Mas o que mais assusta é a falta de qualidade do time do Flamengo. Não é exclusividade do jogo contra o Atlético: Fla tem mais posse de bola que o adversário mas não cria. Esbarra em suas próprias deficências. Luxemburgo melhorou muito a equipe taticamente, mas não pode fazer milagres. Com Val Baiano inoperante, Deivid apanhando da bola...fica difícil. Ao menos o garoto Negueba, surpresa de Luxa, não foi mal e recebeu elogios do chefe. Mas não foi o jogador diferenciado que o rubro-negro precisou e precisa. Agora, contra o Atlético-MG, um jogo decisivo e difícil. Ainda bem que tem o Guarani em casa no caminho rubro-negro. Mas o azar já mostrou que gosta de sopa...

Fluminense 1x0 Vasco: o gol de Tartá logo aos três minutos de jogo valeu muito mais que três pontos pro Fluminense. Primeiro, aliviou a pressão com que o tricolor entrou em campo, sabendo das vitórias de Cruzeiro e Corinthians; depois, manteve a equipe na liderança do Brasileirão; e, principalmente, colocou o Flu com a faca e o queijo na mão para levar o caneco. Se não foi uma grande atuação tecnicamente, taticamente foi impecável. O Vasco dominou a maioria do jogo, mas sentiu dificuldades na hora das finalizações. Nenhuma novidade se trantando de Vasco no Brasileirão. PC Gusmão escalou três atacantes, mas nenhum foi capaz de vencer Ricardo Berna. Ataque inoperante diante de um Fluminense extremamente eficiente.

Um pouco mais: com a vitória no clássico, o Fluminense sai líder, invicto e fortalecido da difícil sequência de cinco jogos que teve: Botafogo, Atlético-PR, Internacional, Grêmio e Vasco. Foram três empates e duas vitórias. Nenhum desempenho espetacular, mas contando com tropeços dos adversários o Fluzão tá lá, firme e forte no topo. Agora tem o Goiás em casa, Palmeiras e São Paulo sem grandes pretensões (e podendo querer dar uma "prejudicadinha" no rival Corinthians)... na última rodada, o Guarani desesperado ou rebaixado...ainda tem um confronto direto entre adversários, Corinthians e Cruzeiro na próxima rodada...acho que a nova casa do troféu do Brasileirão já tem endereço e fica ali, nas Laranjeiras, Rio de Janeiro...

domingo, 7 de novembro de 2010

Nova série no Blog: os Superclássicos

Depois do sucesso do especial sobre as mais belas canções de torcidas pelo mundo (que você pode rever, um a um, acessando o histórico do Blog) vem aí a mais nova série no Futebol e um pouco mais: os Superclássicos do futebol mundial. Clássicos mais conhecidos como Boca e River, Fla-Flu, Gre-Nal, Barça e Real e alguns e outros menos como o "Old Firm", o "clássico de Avellaneda", "The North London Derby", "The Klassieker"...conhecem? Pois então acompanhem o Blog e fiquem por dentro destas apaixonantes rivalidades, suas histórias, curiosidades, números e imagens. Aguardem...

sábado, 6 de novembro de 2010

34ª rodada...

A partir de hoje, cinco decisões. Fluminense tentando defender a ponta; Corinthians e Cruzeiro chegando com tudo logo atrás...e o Botafogo, que não pode mais perder, correndo por fora. Na parte de baixo da tabela, do Flamengo (13°, 40) ao Goiás (19°, 31) tudo pode acontecer. Difícil prever o final. Mas podemos dar alguns palpites, pra não perder o costume.

Jogos de sábado:

Grêmio 2x0 Ceará: tricolor gaúcho na briga por vaga na Libertadores.

Atlético-GO 2x1 Internacional: já escrevi no blog. O Dragão não cai!

Atlético-MG 2x0 Santos: Galo dá passo importante para permanecer na elite.

Jogos de domingo:

Prudente 1x2 Goiás: desespero total! Melhor para o time goiano, ainda com esperanças...

Avaí 1x2 Botafogo: aposto que estavam curiosos para ler meu palpite pra este jogo, né? Pois o Fogão vence e encosta de vez nos líderes. Tem gol de Loco Abreu na Ressacada.

São Paulo 2x2 Corinthians: tricolor paulista, mordido pelo jogo "estranho" entre Timão e Flamengo no ano passado, atrapalha o rival.

Vitória 2x1 Cruzeiro: jogo ruim pra Raposa...aposto no rubro-negro baiano.

Flamengo 1x1 Atlético-PR: Furacão ainda quer - e pode - chegar à Libertadores; Mengo de Luxa infectado pela empatite; logo, empate em Volta Redonda.

Palmeiras 1x2 Guarani: Bugre, bem mais motivado e interessado no resultado, vence.

Fluminense 1x1 Vasco: Flu não tem dado sorte contra o Vasco. Time cruzmaltino consegue empate, mas tricolor abre mais um pontinho na liderança.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Quatro: número mágico para o Fogão

Fogão de El Loco aponta para o título
Apenas quatro pontos! A distância do Botafogo para o líder Fluminense caiu mais um pouquinho após vitória alvinegra sobre o Atlético-GO. Do mesmo modo, abriu quatro pontos em relação ao São Paulo, primeiro time fora do G-4. Mesmo sem grande atuação, o Glorioso fez o dever de casa e se manteve invicto no Engenhão. Eficiente, o Fogão aproveitou as chances que teve. Por exemplo: a primeira finalização certa aconteceu na cabeçada de Caio, o gol que abriu caminho para o triunfo. No primeiro chute a gol na etapa final, gol de Jobson. Dois a zero...e ainda viria o terceiro com Loco Abreu, cobrando pênalti. Tá certo, vai. Levou dois gols bobos, de pelada...mas que não tomaria, principalmente o segundo que aconteceu aos 47 do segundo tempo, se o placar não estivesse decidido. Aliás, foi um prêmio ao Atlético-GO, que marcou com muita eficiência no primeiro tempo e assustou em alguns contra-ataques. Desde a chegada de Renê Simões, o Dragão melhorou muito. Aposto que não cai. Mas enfim...para o time de Joel Santana, daqui pra frente, a palavra mágica para o título é vencer. Acho que com quatro vitórias e um empate, considerando a tabela dos adversários, o Bota leva o caneco. No entanto não pode mais tropeçar, leva desvantagem nos critérios de desempate. Então, Papai Joel: bola pra frente, time pra frente! E mais quatro vitórias...

Internacional 0x0 Fluminense: um pontinho que deve ser valorizado, pois garantiu a liderança isolada ao tricolor. Mesmo vencendo apenas uma das últimas oito partidas, o Fluminense segue no topo do Brasileirão. E, desta vez, graças a Ricardo Berna. O arqueiro pegou tudo e garantiu o 0x0 no Beira-Rio. Sim...logo a posição de goleiro, a mais instável do clube nos últimos anos, pode fazer a diferença para a conquista do título. De repente, de tercerio goleiro, Berna se transformou em salvador da pátria, destaque e pode ter contrato renovado. Esse tal de futebol é mesmo incrível...

Ceará 2x2 Flamengo: dois gols pra cada lado, uma falha de goleiro pra cada lado...placar justo no fim das contas. Apesar de ter tido maior posse de bola, o Fla não conseguiu criar. Diogo e Diego Mauricio estavam estáticos no ataque...aliás, esse ataque 3D ou DDD, como queiram, não deu certo de novo. O DDD não completa a ligação que o meio faz com o ataque! Os três se embolam, nada criam e não marcam gols. Precisou a dupla de zagueiros balançar as redes. Vamos mexer Luxa...

Vasco 2x1 Prudente: vitória para aclamar os ânimos no clube e praticamente garantir o Vasco na Sul-Americana de 2011. Um susto no início, com gol de Adriano Pimenta...mas a Pimenta paulista estava longe de ser malagueta e o Vascão virou ainda no primeiro tempo, em dois minutos, com gols do volante Rômulo - pra mim, uma das grandes revelações do Brasileirão. O comandados de PC Gusmão ganham moral para o clássico contra o Fluminense! Cruzeirenses, corinthianos e botafoguenses contam com o time da Colina...

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Isso sim, é entrosamento!


Em qualquer que seja o esporte, sobretudo os coletivos, existe uma palavrinha mágica que faz toda a diferença: entrosamento. No caso do futebol, entendemos como time entrosado aquele em que os jogadores se conhecem, cumprem função tática pedida pelo treinador de forma correta, tocam a bola quase de olhos fechados...sabem onde estará o companheiro, acompanham o raciocínio com facilidade. Assim o jogo flui, a equipe toca a bola com tranquilidade. Os laterais e meias sabem onde os atacantes querem receber o lançamento. O zagueiro sabe quando o goleiro vai sair, quem vai fazer a cobertura. Se pode atacar naquele momento ou não. Mas...no caso acima, o entrosamento do time de branco vai além! Além das quatro linhas, do estádio de futebol, cruza os ginásios e invade os tablados de Ginástica Olímpica! Sim, isso mesmo...e sem sair do campo de jogo. Entenderam? Não né...assistam ao vídeo e observem o que é entrosamento!

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Palpites: Timão e Fogão encostam!

Esta 33ª rodada será alvinegra novamente! Aposto em vitórias de Botafogo e Corinthians e tropeços de Fluminense e Cruzeiro. Assim, o preto e branco encosta no topo e consolida quatro times na briga pelo título. Não é paixão...apenas palpites!

Jogos de quarta-feira:

Goiás 2x1 Grêmio: a cartada final do time goiano buscando se livrar da degola.

Santos 2x2 Vitória: time baiano melhorou; paulista caiu. Empate na Vila.

Internacional 2x0 Fluminense: Colorado atrapalha os planos do Flu no Beira-Rio e ajuda Cruzeiro.

Botafogo 2x0 Atlético-GO: Fogão vence no Engenhão e encosta mais um pouquinho...

Guarani 1x2 Atlético-MG: confronto direto...sou mais Galo.

Corinthians 3x1 Avaí: Timão vence em casa e segue firme na busca pelo caneco.

Cruzeiro 1x1 São Paulo: tropeço azul, mas derrota do Flu recoloca time de Cuca na liderança.

Ceará 1x1 Flamengo: jogo ruim pro Mengo, que volta com mais um pontinho do Nordeste.

Jogos de quinta-feira:

Vasco 2x0 Prudente: mero espectador no fim de Campeonato, Vasco vence e afunda Prudente.

Atlético-PR 1x1 Palmeiras: empate que tira ambos da briga por Libertadores.