quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Superclássicos: 'El Clasico'

                          

Na última segunda-feira, o mundo parou para assistir à surra do Barcelona de Messi sobre o Real Madrid de Cristiano Ronaldo, 5x0. A primeira derrota por cinco gols de José Mourinho, desde que iniciou a carreira de treinador. Mas as consequências de um resultado como este vão além. Você conhece a história do clássico? Pois o Futebol e um pouco mais traz para você 'El Clasico', na série especial sobre os Superclássicos do futebol mundial.

A rivalidade entre os clubes vai além das quatro linhas. O Real Madrid representa a realeza e o poder centralizador da capital espanhola, enquanto o Barcelona representa a cultura, o povo catalão e o seu desejo separatista de independência. Daí a intensidade desta rivalidade, pois diferente da maioria dos países onde os principais clássicos envolvem clubes da mesma cidade, a rivalidade deste clássico envolve filosofias políticas distintas e contrárias. Talvez por isso seja o clássico de maior rivalidade do continente europeu. Os clubes se odeiam mais do que aos rivais da mesma cidade- Atlético de Madrid e Espanyol.

O sentimento anti-Madrid ganhou força nas ditaduras de Primo de Rivera e, especialmente, Francisco Franco, quando as culturas regionais foram reprimidas, incluíndo a proibição do uso de qualquer língua que não a castellana. Segundo historiadores, Franco (época da Segunda Guerra Mundial) tolerava as manifestações pró-Catalunha nas partidas do Barcelona, onde costuma ser cantado o hino da Catalunha e desfraldadas diversas bandeiras catalãs, pois seria mais fácil controlar os manifestantes reunidos em um estádio de futebol do que espalhados pelas ruas. Os estádios do Barcelona se tornaram refúgio para conversas em catalão, além de outros protestos contra o governo. Simbolizando o desejo de liberdade dos catalães, o Barcelona se declarou como més que un club ("mais que um clube") para a sua região. De acordo com Manuel Vázquez Montalbán, "a melhor maneira dos catalães em demonstrar sua identidade foi apoiando o Barça. O Real, por sua vez, passou a ser visto como símbolo do governo franquista e do centralismo opressor de seu regime ditatorial, por conta de Franco aproveitar do sucesso da equipe nos anos cinquenta para uso político.

O sentimento incendiou de vez após Alfredo Di Stéfano, contratado em 1953 pelo Barcelona, assinar polemicamente com o Real, em decadência, que logo teria anos de ouro e conquistas com o jogador argentino.

A primeira partida entre Barcelona e Real Madrid foi disputada no dia 13 de Maio de 1902, nas semi-finais da antiga Copa de la Coronación, atual Copa do Rei. O Barcelona levou a melhor e venceu por 3 a 1.
Em 1968, após vitória do Barça por 1x0 numa final de Copa, no Santiago Bernabeu, reclamações por um possível pênalti não assinalado a favor do Real Madrid irritaram a torcida da casa. Os madrilenhos atiraram garrafas e diversos objetos no gramado, causando tanto tumulto que desde então foram proibidas vendas de garrafas nos estádios espanhóis.

Pouco mais de trinta anos depois, foi a vez da torcida do Barça atirar objetos para o campo; o motivo era a presença de Luis Figo no Camp Nou. O português, quando jogador do Barcelona, se tornou ídolo dos torcedores, que passaram a detestá-lo quando se transferiu para o arquirrival em 2000. Entre os objetos atirados estava até a cabeça de um porco!

Estes são apenas alguns incidentes dos muitos registrados na intensa história deste clássico.
Luis Enrique, um dos jogadores que passaram pelos dois clubes, foi quem mais atuou no clássico, 22 vezes, sendo treze com a camisa do Barcelona e nove com a do Real Madrid. Ao todo, trinta e trêsjogasdores vestiram as duas camisas, sendo vinte e dois deles após a "traição" de Di Stéfano. Onze destes em transferências diretas. Corajosos...

Curiosidades:

- Na época de ouro do Real Madrid, temporada 62/63, os merengues aplicaram 5x1 no Barça em pleno Camp Nou.
- Na temporada 73/74, o Barcelona aplicou a maior goleada no Estádio Santiago Bernabéu, 5x0, com grande atuação do holandês Johan Cruijff.
- O Real ficou 23 sem vencer no Camp Nou; tabu quebrado em 2000.
- Em 2005, Ronaldinho Gaúcho foi aplaudido de pé no Santiago Bernabéu pela torcida rival, após o 3x0 que o Barcelona aplicou no Real, com atuação sensacional do brasileiro. Apenas Maradona alcançou o feito.
- Em 2009, o Barcelona conseguiu um resultado histórico ao vencer o Real Madrid em pleno Santiago Bernabéu por 6x2.

Números de 'El Clasico':
- Número de partidas: 240
- Vitórias do FC Barcelona: 109
- Vitórias do Real Madrid CF: 79
- Empates: 52

Maior artilheiro do confronto:

- Di Stefano, Real Madrid - 18 gols

Títulos:
Competições InternacionaisFC Barcelona
Real Madrid CF
Taça Intercontinental / Mundial de Clubes13
Taça dos Campeões Europeus / Liga dos Campeões39
Taça das Cidades com Feiras / Taça UEFA / Liga Europa32
Taça das Taças40
Supertaça Europeia31
Taça Latina22
Competições NacionaisFC BarcelonaReal Madrid CF
Campeonato de Espanha2031
Taça de Espanha2517
Copa da Liga Espanhola21
Supertaça Espanhola98
Copa Eva Duarte41
Total7675


O vídeo acima mostra o dia em que Ronaldinho Gaúcho foi aplaudido pela torcida do Real Madrid, em pleno Santiago Bernabeu. Momento histórico e marcante de 'El Clasico'.