segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Clássico dos Milhões...

Flamengo e Vasco, o clássico dos milhões...milhões de motivos para comemorar no lado rubro-negro: grande atuação de Thiago Neves - com diretio a golaço e passe para o outro gol, liderança do grupo retomada, torcida cada vez mais motivada para a estréia de Ronaldinho Gaucho e uma pá de cal no rival, fora das semifinais da Taça GB. A sombra de Wanderley parece ter feito Deivid acordar, ao contrário da defesa que ainda está dormindo...por enquanto, tal deficência não prejudicou. Do lado cruzmaltino, milhões de problemas. Não bastasse a demissão de PC Gusmão e afastamento de Carlos Alberto e Felipe - que não devem mais atuar pelo clube, Ramom entrou em litígio com a torcida após fazer gestos obscenos em direção às arquibancadas, ao sair vaiado. O Vasco está fora das semifinais do primeiro turno pelo segundo ano consecutivo, com direito ao pior início de toda sua história em campeonatos cariocas. E a perspectiva? Pois é...a idéia de mesclar experiência e talento de alguns - leia-se Carlos Alberto, Felipe, Zé Roberto e Eder Luis - com a juventude e vontade de garotos e apostas foi por água abaixo. A partir de agora, um novo planejamento deve ser feito. Dinheiro? Não tem. Mesmo que tivesse, trazer um craque talvez não resolvesse. A temporada é longa, um elenco forte é necessário e não apenas um ou dois aletas de nível. Com o não de Carlos Quiróz, o Vasco trabalha com outros nomes para o cargo de treinador. Mas quem? Quem está disponível? E mais: quem quer assumir a panela de pressão que se transformou São Januario? Ser técnico do Vasco, desde Renato Gaúcho, não é dos cargos de mais estáveis. Não por ser esta a política do clube, mas pela cobrança por uma série de fatores: a falta de títulos na última década, a politicagem que existe no clube, os atrasos de salário que impedem ao treinador exigir de seus atletas...mas, sobretudo, a falta de um grupo qualificado, à altura do Clube de Regatas Vasco da Gama, tetracampeão brasileiro, campeão da Libertadores e dono da quinta maior torcida do país.

Botafogo 3x1 Olaria: Com direito a cavadinha, o Fogão praticamente cavou uma vaguinha nas semifinais da Taça GB - basta vencer o Bangu na quarta-feira. Loco Abreu e Jéfferson, novamente, fizeram a diferença. O uruguaio, com dois gols - vale destacar o belo gol e passe do Renato Cajá, que apesar da inconstância tem sido decisivo - e o goleiro com belas defesas. Defesas estas que poderiam ser evitadas. O Botafogo sofre pressão desnecessária de times de menor expressão. O esquema de Joel Santana limita o alvinegro e impede que o talento de alguns jogadores seja explorado. Três zagueiros, dois volantes...e a defesa continua falhando. O negócio é qualidade no posicionamento, não quantidade. Com esquema defensivo, o Fogão aposta em ligações diretas, lançamentos longos - desta vez deu certo nos gols de Abreu, mais pela fragilidade do adversário e méritos do atacante...não vai ser sempre assim...o Glorioso fica muito pouco com a bola nos pés e espera o rival para contra atacar. Papai Joel...seu currículo é incontestável, você é o Rei do Rio com sete conquistas...mas peraí, né? Será que perder a classificação para a Libertadores não foi o suficiente para aprender que a covardia não leva a lugar algum? Nunca é tarde para rever certos conceitos...

Fluminense 4x2 Cabofriense: se o Bota tem Loco, o Fluzão tem Fred! Que início de temporada...cinco gols em quatro jogos, artilharia do campeonato...mas, sobretudo, uma motivação visível no olhar do artilheiro. Com dois gols do capitão, o Fluminense bateu uma Cabofriense um pouco mais bem arrumada com Waldemar Lemos. Mas que, em momento algum, ameaçou a vitória tricolor. Sim, você não leu errado. Mesmo estando à frente do placar, virando a partida e exigindo do Flu uma nova virada, o time da Região dos Lagos não passou nem perto da vitória. Bastou ao time de Muricy Ramalho acordar, fazer um pouquinho de força e conquistar os três pontos. Simples assim. Basta uma vitória para selar o passaporte às semifinais. Ah! Vale o destaque - e como vale! - para o retorno de Conca. Obviamente, ainda longe das condições físicas e ritmo de jogo ideais, mas com a disposição de sempre. Esse Fluminense com Conca, Souza, Emerson ou Araújo e Fred do jeito que está jogando...não sei não em...

Um pouco mais: a realidade é dura. Mas hoje o Vasco só é grande por tudo que representou e representa para o futebol mundial. De 2000 pra cá, apenas um título carioca e uma coleção de vexames - eliminações e derrotas ridículas no estadual e Copa do Brasil, brigas políticas, aumento das dívidas, queda no número de fãs e a cereja do bolo, o rebaixamento para a segundona do futebol nacional em 2008. Nos outros esportes, onde o Clube da Colina sempre foi Gigante, como por exemplo o basquete, nem se houve mais falar. O Vasco lembra muito o Botafogo em 2002: sem dinheiro, sem moral, sem rumo. E é exatamente no rival que o cruzmaltino deve se inspirar. Arrumar a casa, investir em estrutura, montar times de acordo com a realidade. A partir daí subir, degrau a degrau, até retomar o lugar de destaque no futebol carioca, nacional e internacional. Exatamente como fez o Botafogo: subiu de divisão, se manteve, construiu estrutura e voltou a respeitado no Rio de Janeiro e no Brasil; agora, dono do atual mais moderno estádio da América Latina e tido como modelo de gestão administrativa, o projeto é voltar à Libertadores. O Fogão voltou a ser grande e o Vascão também pode. E deve. Afinal, como diz a faixa exibida pelos torcedores: "Tua imensa torcida quer voltar a ser feliz"...

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Nem precisava...

O Fogão entrou em campo com o famoso ataque sul-americano. Loco Abreu e Herrera, iniciando juntos uma partida, após quatro meses. Mas o Goeber tratou de dar uma forcinha e fez o trabalho dos atacantes alvinegros. Com dois gols contra, abriu caminho para a goleada do Glorioso sobre a Cabofriense, 5x0. Renato Cajá, Caio e Antônio Carlos completaram o placar. O primeiro, atual camisa 10, melhorou em relação à primeira partida. Antônio Carlos voltou a ser zagueiro artilheiro. E o Caio, talismã. Entrou quando o jogo estava 2x0, morno, chato...e incendiou, deu nova vida ao Bota e ao jogo. Interessante foi ouvir a galera no estádio gritando seu nome, pedindo sua entrada...ele terminou 2010 sendo vaiado, mas bastou um jogo para o ódio virar amor novamente. Preguiçoso, o time da Estrela Solitária ainda não apresentou o futebol que a torcida quer ver, porém venceu as duas partidas. Para o início, tá bom. O que parece não estar bem é a relação Joel Santana / Loco Abreu. O uruguaio critica, o treinador rebate - não é o primeiro desentendimento entre os dois...surgem propostas do Grêmio por El Loco...nessa história toda, o único prejudiucado é o...Botafogo! Abreu é ídolo dentro de campo e fenômeno de marketing fora dele. Joel Santana também conta com a simpatia de jogadores e torcida e sua competência é indiscutível. Calma, Fogão...

Flamengo 3x1 América: Tranquilo, calmo, sem sustos. O maior adversário do Flamengo em Edson Passos foi o forte calor. Contra um fraco time do America, a segunda vitória consecutiva e ânimo dos torcedores cada vez maior para a estréia de Ronaldinho Gaúcho. Falando em ânimo, o gol de Deivid pode dar a confiança necessária para o atacante, enfim, deslanchar com a camisa rubro-negra. Com tantas opções para o setor ofensivo, Deivid precisa de gols para continuar jogando. Ou então Luxa vai colocá-lo no banco. "Cherto"?

Fluminense 6x2 Olaria: Em 2010, Fred prometeu 60 gols na temporada. Para este ano, pediu apenas saúde para jogar regularmente. Se assim for, pelo que observamos nos primeiros jogos, 2011 promete para o capitão tricolor. Contra o Olaria, dois gols e passe fantástico para outro. Fred comandou a goleada, que teve um pequeno susto e outro pênalti "à brasileira". O time da rua Bariri chegou a colocar 2x1, de virada, pra cima do Flu. Mas a diferença de qualidade é muito grande. E a equipe de Muricy Ramalho segue firme, 100%. "O show tá começando"...

Vasco 2x3 Nova Iguaçu: Ai ai ai...mais uma derrota, pressão aumentando...esperança diminuindo. O ano começou ruim para o Vasco, que amargou o segundo revés em dois jogos. Vinte e sete anos depois, volta a ser derrotado duas vezes nas duas primeirs rodadas do Carioca. Mesmo com um a mais, não conseguiu vencer o Nova Iguaçu. O desempenho cruzmaltino mostra a falta de poder de decisão da equipe. Domina o adversário, pressiona em alguns momentos e...cadê o gol? É o que perguntam os torcedores que compareceram a São Januário para protestar. Feliz (?) 2011, galera vascaína...

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Uh! El Loco 2011!

O Botafogo começou 2011 como...Botafogo! Vitória sofrida, suada, cercada de polêmicas e com um Loco recado. Vamos por partes. O Fogão encontrou muitas dificuldades para derrotar o Duque de Caxias, de virada, por 2x1. Sem conseguir se impor, assistiu ao time da baixada ameaçar em alguns lances e conseguir um gol, em pênalti 'à brasileira', que não existiu como o próprio Geovani Maranhão admitiu. Pois bem...no segundo tempo, as entradas de Bruno Tiago e Alex - vai longe o garoto - deram nova vida ao Bota, que passou a atuar com dois zagueiros e Somália na esquerda. Um pouco mais ofensivo, o Glorioso contou com Caio para virar o placar: o talismã participou do lance do pênalti - duvidoso também - e marcou o segundo. Caio foi um dos destaques do alvinegro. Mas o meljor em campo, sem dúvidas, foi o estreante Lucas. O lateral direito correu, marcou, se esforçou e mostrou técnica e precisão nos cruzamentos. Pelo visto, ótimo reforço...sim, é cedo para avaliar jogadores e times, pro bem e pro mal. Mas o uruguaio Loco Abreu definiu bem a atuação do Botafogo: defensivo demais. A declaração gerou repreensão de Joel Santana, que não gosotou muito...um Loco, porém sincero, corajoso e verdadeiro discurso! Feliz 2011, alvinegros...

Flamengo 2x0 Volta Redonda: tranquilo e sem sustos. Pode parecer algo comum em jogo de pequeno contra grande. Mas, se avaliarmos as dificuldades encontradas por Bota, Flu e Vasco chegamos a conclusão de que a melhor estréia foi do Flamengo. Ainda sem Ronaldinho Gaucho e Thiago Neves, brilhou a dupla sertaneja Vander e Wanderley. O garoto Vander confirma as atuações destacadas durante a pré-temporada...começou bem o garoto! Já Wanderely deve seguir no banco. Mas se continuar entrando e dando conta do recado, logo logo vai ganhar a vaga de Deivid, que segue muito mal no ataque do Mengão. Volto a chamar a atenção: tem que reforçar a defesa, Luxa...

Fluminense 1x0 Bangu: o Fluzão começou 2011 como terminou 2010: vencendo, por 1x0, no Engenhão. Desta vez não o Guarani, mas o Bangu. E não foi fácil. Lento, preguiçoso, devagar, o Fluminense foi mal no primeiro tempo e teve situação complicada após expulsão de Souza, um dos destaques na pré-temporada. Na segunda etapa, o ousado Bangu colocou até bola no travessão! Mas aí..como é bom ter um craque...o jogador diferenciado, que basta um toque na bola para decidir. Foi Tartá fazer boa jogada pela esquerda e cruzar na cabeça dele, Fred, que os problemas acabaram. E assim, o tricolor carioca conquistou os primeiros três pontos no Carioca. Se não foi brilhante, teve a eficiência de sempre assinada por Muricy Ramalho...

Vasco 0x1 Resende: ano novo, time velho, antigos problemas. Desfalcado e sem poder de decisão, o Vasco 2011 continua o mesmo do ano passado. Ao menos neste início, Marcel não conseguiu ser o homem gol que dele se espera e que PC Gusmão tanto quer. Digo mais: Marcel nunca foi o homem gol que dele se espera e que PC Gusmão tanto quer. Talvez, com a camisa do Vasco, consiga tal regularidade. Resta esperar pra ver. Mas a galera cruzmaltina tem pressa...

Um pouco mais: PC Gusmão ganhou mais um desfalque. E este é sério, para o restante da temporada: Zé Roberto deixou oVasco e se transferiu para o Internacional. Sim, era quesão de tempo. O jogador reclamou dos salários atrasados em público, declarou interesse em defender o Colorado...fez todo o marketing necessário! O Zé é bom, mas problemático. Melhor liberar do que mantê-lo insatisfeito no elenco. E não é o primeiro clube que Zé Roberto sai pela porta dos fundos. Para seu lugar, o Vascão procura um substituto. E precisa, pra já, o mais rápido possível. Para encerrar, abro aqui um canal de apostas: quanto tempo o Zé Roberto vai demorar para criar problemas no Inter?

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Vascão 2011: Por uma nova década!

Dois mil e onze tráz para o Vasco a esperança. Não só de um ano diferente, mas de uma década diferente. Sim, pois entre 2000 e 2010 o Gigante da Colina conquistou apenas um título - o Carioca de 2003 - e colecionou vexames, o principal deles o rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro em 2008. Como resultado, jejum de sete anos sem levantar uma Taça (não vamos contar a segundona, não está a altura do Vasco) e queda no número de torcedores por todo o Brasil. Pois a hora é de apagar tudo isso e recomeçar. Recomeço liderado e pretendido também por Carlos Alberto, destaque e capitão da equipe, que pouco atuou na última temporada. Caso jogue regularmente, pode ser o maior reforço do Vasco para 2011. Isso mesmo, pois as contratações são, a princípio, modestas e pouco badaladas. Anderson Martins e Misael são incógnitas; Eduardo Costa tem de voltar a ser aquele que se destacou no Grêmio e Marcel...precisa ser mais regular tecnicamente. O Vascão dispensou quem não deu certo - exemplos de Nunes, Ernani, Rafael Coelho e Fumagalli - e manteve a base - Fernando Prass, Fagner, Dedé, Ramom, Felipe, Zé Roberto e Carlos Alberto - e aposta no entrosamento para sair na frente dos rivais. Mas, na hora que os adversários também se entrosarem, este diferencial fica em segundo plano e o talento vai falar mais alto. Aí tem de entrar Zé Roberto e Carlos Alberto, principalmente. Liderado por PC Gusmão, a Nau cruzmaltina tenta desafogar e levar o Vasco de volta ao seu lugar de destaque no futebol carioca, nacional e mundial. O sentimento não pode parar!

Quem chegou: Anderson Martins (Z, Vitória), Marcel (A, Santos), Eduardo Costa (V, Monaco), Misael (A, Ceará), Jeferson e Enrico (volta de empréstimo)

Quem saiu: Rafael Carioca (V, Spartak Moscow-RUS), Ernani (L, Vitória), Titi (Z, Bahia), Fumagalli (M, Americano), Nunes (A), Magno (M, Bahia), Tiago (G, Bahia), Bruno Paulo (Bahia), Rafael Colho (A, Avaí), Rodrigo Pimpão (A, Cerezo Osaka-JAP)

Quem pode chegar: segundo Rodrigo Caetano, diretor executivo do Vasco, o grupo está fechado para o primeiro semestre.

Time base: Fernando Prass, Fagner, Anderson Martins, Dede e Ramom; Eduardo Costa, Romulo, Felipe e Carlos Alberto; Zé Roberto e Eder Luis.

Técnico: PC Gusmão

OPINIÃO: o time do Vasco não é ruim como muitos dizem. Tem um bom goleiro, dois ótimos laterais e dois jogadores diferenciados: Zé Roberto e Carlos Alberto. No banco de reservas, um técnico extremamente competente, PC Gusmão. Resta saber se Carlos Alberto vai jogar mais regularmente e ser o diferencial que faltou ao Vasco em 2010; se Zé Roberto vai ficar no clube, vencer a luta contra a balança e estar motivado; se as apostas darão certo; se Marcel conseguirá ser o homem de área tão pretendido por PC. Dúvidas e incertezas cercam o Vasco neste início de 2011. Sim, o clube da Colina larga na frente na questão do entrosamento. Mas daqui a três ou quatro rodadas, as outras equipes - que também não sofreram tantas alterações assim - começam a se encaixar e aí..bem, caberá a Carlos Alberto, Zé Roberto e Cia. decidir. Decisão. Algo que faltou ao Vasco em 2010, quando dominou várias partidas, rodeou a área do adversário na maior parte do tempo, mas não teve o algo mais. Quanto a estrutura fora de campo...bem, isso não precisa nem comentar.  A última década não foi 'perdida' à toa. Sem estrutura, o Vasco não conseguiu resistir quando perdeu os grandes investimentos de patrocinadores dos anos 90 (alerta pro Fluminense!) - período em que foi campeão estadual, Brasileiro, Sul-Americano, da Libertadores...faltou só o Mundial. Assim, de 2000 a 2010, apenas uma conquista...um Carioca em 2003 e só. Quer dizer...quem dera se fosse só. O Vasco caiu de divisão no Brasileirão, sofreu com guerras políticas, perdeu o Vasco-Barra...chega! Hora de recomeçar! Nova década, novos projetos, novas conquistas dentro e fora de campo. É o que deseja o apaixonado torcedor vascaíno.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Fluzão 2011: Depois do Brasil, a América!

O fim do ano de 2010 foi mágico para o Fluminense. Vinte e seis anos depois, o tricolor carioca voltou a ser o melhor time do Brasil, conquistando o título de tricampeão Campeão Brasileiro. Na verdade, tudo começou com os guerreiros de Cuca, que mantiveram o Fluzão na primeira divisão no ano anterior. Passou pela competência de Muricy Ramalho, talento de Conca e sorte de campeão. Agora, os guerreiros tricolores tem nova missão em 2011: conquistar a América! O Fluminense manteve os principais jogadores - Conca, Fred, Diguinho, Emerson e, principalmente, Muricy Ramalho - e fez contrações precisas, cirúrgicas como dizem. Diego Cavallieri chega para pôr fim ao revezamento da camisa 1. Souza, com sua versatilidade, será muito útil a Muricy, tanto no meio quanto na ala direita. E vem demonstrando isso na pré-temporada. Araújo pode ser a solução para a irregularidade de atuações do Sheik Emerson. Aliás, mal começou a temporada e o autor do gol do título brasileiro sofreu lesão, se tornando desfalque neste primeiro mês. O coração valente já não suporta mais tantas emoções. Washington anunciou aposentadoria. Contestado, foi campeão em todos os times que defendeu. Artilheiro e importante taticamente, contagiava os companheiros com sua garra e determinação. Características que carregou também fora de campo. O futebol perde, não só um goleador, mas um exemplo de ser humano. Edinho...bem, este eu não entendi. O volante nunca se firmou por onde passou e, além do mais, o Flu conta com Diogo, Diguinho, Fernando Bob, Valencia e Belletti para a posição. Mas foi Muricy Ramalho quem pediu. E, com o Senhor Competência, não se discute.

Quem chegou: Diego Cavallieri (G, Cesena-ITA), Souza (M, Grêmio), Edinho (V, Palmeiras), Araújo (A, Al Gharafa)

Quem saiu: Fernando Henrique (G, Ceará), Thiaguinho (V, Sport)

Quem pode chegar: nenhuma especulação no momento

Time base: Diego Cavallieri, Mariano, Gum, Leandro Euzebio e Carlinhos; Diogo, Diguinho, Souza e Conca; Emerson e Fred.

Técnico: Muricy Ramalho

OPINIÃO: perdas insignificantes, boas e precisas contratações. O Fluminense manteve as principais peças do time campeão brasileiro e fortaleceu ainda mais o elenco, com um goleiro de confiança - Diego Cavallieri -, um bom atacante - Araújo - e um jogador versátil - Souza. Muricy Ramalho ganha boas opções para um time em condições de brigar pela Taça Libertadores. Em 2011, o treinador espera ver o banco mais repleto que o Departamento Médico. O Fluzão entra, sem dúvidas, como um dos grandes favoritos em todas as competições que vai disputar no ano - Carioca, Libertadores e Brasileirão. A temporada promete para o tricolor carioca. Mas deixo aqui o meu alerta: é preciso investir em estrutura! Os grandes jogadores são pagos pelo patrocinador. O Fluminense, mesmo, tem grandes dívidas e dificuldades. Ou investe no futuro ou então, se um dia a Unimed deixar o clube, o torcedor do Flu pode ter de esperar mais 26 anos para ver uma grande conquista...

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Mengão 2011: Reconquistar, com R de Ronaldinho Gaúcho!

Ano novo, vida nova. A famosa frase se encaixa perfeitamente para o Flamengo. Depois de um 2010 sem títulos, com um quase rebaixamento no Brasileirão e repleto de confusões extracampo - caso Zico, caso Bruno - o rubro-negro inicia a temporada esperançoso. E tem motivos pra isso. Afinal, contratações como Thiago Neves e Felipe são sempre bem vindas. Vander tem se revelado uma aposta que vai dar certo. E ainda tem ele...principalmente ele...o grande assunto e a maior contratação do futebol brasileiro até o momento: Ronaldinho Gaúcho! Um fenômeno de mídia, marketing, fonte indiscutível de lucros...mas, sobretudo, um gênio com a bola nos pés. Diferenciado, tem a missão de reconduzir o Flamengo aos títulos. Este é o principal objetivo do Fla em 2011: reconquistar. Não só troféus, mas a imagem de um clube vitorioso, forte e organizado. Imagem  arranhada por acontecimentos que devem ser deixados de lado. Ronaldinho, com seu carisma e habilidade, parece ser o personagem ideal para tal reconstrução. No banco, Vanderlei Luxemburgo. No elenco, uma grande renovação e dispensa de medalhões como Juan, Petkovic, Kleberson, Toró, Diogo, Val Baiano. Novos jogadores, diferentes ingredientes e desafios para o Mengão voltar ao topo em 2011.

Quem chegou: Felipe (G, Braga-POR), Darío Botinelli (M, Universidad Católica-CHI), Vander (M, Bahia), Thiago Neves (M, Al Hilal), Egídio (Volta de empréstimo), Ronaldinho Gaúcho (M, Milan), Wanderley (A, Prudente)

Quem saiu: Juan (LE, São Paulo), Petkovic (M), Kleberson (V), Diogo (A), Val Baiano (A), Correa (V), Toró (V, Atlético-MG), Michael (M), Cristian Borja (A, Estrela Vermelha-SER)

Quem pode chegar: Junior Cesar (LE, São Paulo)

Time base: Felipe, Leo Moura, Wellinton, David Braz e Egidio; Maldonado, Willians, Renato Abreu e Thiago Neves; Ronaldinho Gaucho e Deivid.

Técnico: Vanderlei Luxemburgo

OPINIÃO: Ronaldinho Gaucho é a grande estrela do Flamengo,  a contratação mais badalada do futebol nacional em 2011. Dentro de campo, sua capacidade é indiscutível. Fora dele, R10 representa a marca mais valiosa do mundo, segundo pesquisas. O fato, somado ao grande mercado que representa a torcida rubro-negra, resultará em lucros para os cofres do clube. Resta saber se dentro de campo tudo isso será traduzido em conquistas. A Nação acordou...mas, sem o Maracanã, terá de transformar o Engenhão em sua casa nos próximos dois anos (a princípio). Quanto ao time, Luxemburgo tem opções ofensivas de sobra. Mas a defesa preocupa, principalmente nas bolas aéreas. Talvez a contratação de um bom zagueiro seja interessante, bem como um lateral esquerdo - Egidio é incógnita. No gol, Felipe é cópia fiel de Bruno: polêmico, defende bolas difícieis e falha em algumas fáceis. Mas sua competência foi provada e o Mengão está bem servido. O Flamengo sonha alto nesta temporada. Tem condições e motivos para acreditar!

sábado, 15 de janeiro de 2011

Fogão 2011: firmar no Brasil e buscar a América!

A partir de hoje, o Blog Futebol e um pouco mais cumpre a promessa e fala sobre os objetivos e desejos das equipes em 2011, a começar pelo...Botafogo! Para comentar sobre o Glorioso, voltaremos ao passado, nem tão distante assim. Em 2002, o alvinegro escreveu uma das páginas mais tristes de sua história, ao ser rebaixado para a Série B do futebol nacional. Bebeto de Freitas assumiu o clube, investiu em estrutura e, com uma política imediatista que não deixou de ser importante para o futuro, reconstruiu o CT de General Severiano e refez do Caio Martins o caldeirão do Fogão. Em 2003, o Botafogo voltou à elite do futebol nacional. Os dois anos seguintes foram de muita luta, afirmação e crescimento, discretos, mas revelados nas temporadas seguintes. Assim, o Bota vem subindo uma escadinha, digamos assim. De 2006 pra cá, o Glorioso esteve presente em TODAS as decisões de Campeonato Carioca, conquistando um título. Em termos de estrutura, hoje administra o Estádio mais moderno da América Latina, o Engenhão. No ano passado, foi capaz de investir 10 milhões de reais em um só jogador - Maicosuel - e contratar um dos maiores ídolos de uma Nação - o uruguaio Loco Abreu -, algo inimaginável há cinco anos atrás. O sexto lugar no Brasileirão não foi ruim, apesar do gosto de quero mais, poderia ter sido melhor. Mas calma...não deixou de ser honroso para uma equipe desacreditada no início da competição. Em 2011, o Fogão tem como objetivo e missão se firmar entre os maiores do Brasil e disputar os prinicipais títulos do país: Copa do Brasil e Brasileirão. Com isso, subir mais um degrau e voltar a participar da Libertadores, 16 anos depois. Assim, degrau a degrau, o Botafogo sobe a escadinha para voltar a ser AQUELE Botafogo, o de Garrincha, Nilton Santos, Jairzinho, dentre outros, eleito um dos maiores clubes de todos os tempos pela FIFA.

Quem chegou: Márcio Azevedo (LE, Atlético-PR), Lucas (LD, Figueirense), João Filipe (Z, Figueirense), Fabrício (M, Corinthians), Rodrigo Mancha (V, Santos).

Quem saiu: Leandro Guerreiro (V, Cruzeiro), Edno (A, Corinthians), Jobson (A, Atlético-MG), Marcelo Cordeiro (LE, Portuguesa), Lucio Flavio (M, Atlas-MEX), Tulio Souza (V, sem clube).

Quem pode chegar: Arevalo Rios (V, Monterrey-MEX), Everton (M, Tigres-MEX).

Time base: Jéfferson, Fahel, Antônio Carlos e Fábio Ferreira; Lucas, Marcelo Mattos, Somália, Maicosuel e Marcio Azevedo; Herrera e Loco Abreu.

Técnico: Joel Santana

OPINIÃO: neste início de temporada, sem Fabio Ferreira e Maicosuel, o Botafogo perde e muito em termos de qualidade no time titular. A transeferência de Leandro Guerreiro para o Cruzeiro não foi uma perda irreparável para o Bota, uma vez que já existia um desgaste entre parte da torcida e jogador ( acho até que entre jogador e clube). Guerreiro, por ser um dos líderes do elenco e capitão na última temporada, era o jogador escolhido para explicar as derrotas e vexames do alvinegro (não posso esquecer da famosa frase: "agora é levantar a cabeça..."). Por isso, muitos associam sua imagem aos tropeços do clube nos últimos anos, os mais recentes a eliminação para o Santa Cruz na Copa do Brasil e não classificação para a Libertadores. Em termos de elenco, o Botafogo 2011 é uma incognita. Entre Marcelo Cordeiro e Marcio Azevedo, o segundo tem mais qualidade...ponto para o Fogão! As outras contratações até o momento são desconhecidas pela maioria dos torcedores e tratadas como apostas pelo clube. O Glorioso perdeu Edno, Jobson e Lucio Flavio, peças importantes no banco de reservas. Mas pode ganhar Alex, Lucas Zen e Rodrigo Mancha. Esse pode é o X da questão. O torcedor alvinegro inicia 2011, ao mesmo tempo que curioso e esperançoso, ressabiado. Resta esperar a bola rolar...

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Ética no Futebol...Hã? Que? Como?

Ética: "conjunto de valores morais e princípios que norteiam a conduta humana na sociedade. A ética serve para que haja um equilíbrio e bom funcionamento social, possibilitando que ninguém saia prejudicado". Esta, caros leitores, é uma das diversas definições de ética existentes. Mas todas contém o mesmo sentido, trabalhando os valores morais e principios. Casos como o de Ronaldinho Gaucho nos levam a seguinte questão: o que Ética quando o assunto é Futebol? Ou mais: ela existe no mundo da bola? Sim, pois aceitar três propostas distintas, como fez o empresário de Ronaldinho, Roberto Assis, contraria a questão dos princípios. O absurdo que se transformou o leilão pelo jogador contraria os valores morais de uma sociedade como a brasileira, onde o salário mínimo será de 540 reais em 2011 - mas isso envolve outras questões...até porque tal investimento tem retorno, tornando possível e rentável oferecer valores fora dos padrões de realidade. Se "a ética serve para que haja um equilíbrio e bom funcionamento social, possibilitando que ninguém saia prejudicado", tem algo de errado nessa história. O primeiro grande prejudicado é o torcedor, que acompanha toda essa novela, cria expectativas, compra jornais, lê que Ronaldinho acertou com seu clube de coração e...de repente, era tudo mentira. Mentir é ético? Acho que não. Agora...também não é ético dirigentes de Palmeiras e Grêmio virem a público se fazendo de vítimas do Assis...pera lá! Até parece que não sabiam se tratar de um jogo de 'quem dá mais, leva'. Toda essa baboseira de que "nenhum jogador é maior que o clube", "esse ou aquele não tem palavra"...não cola! Como acontece em um leilão, a maior oferta, mais atraente e vantajosa para quem está negociando vence. Méritos para o Flamengo, que não fez alarde, se pronunciou nos momentos certos, manteve uma conduta aceitável e, com uma boa proposta em mãos, está próximo de bater o martelo e levar Ronaldinho Gaúcho pra Gávea. Digo mais...o Mengão foi o mais ético de toda a história.

Um pouco mais: no meu primeiro post de 2011, prometi falar sobre os clubes e expectativas para a temporada que se inicia. Mas a questão envolvendo Ronaldinho Gaúcho me fez mudar de planos e comecei escrevendo sobre o leilão envolvendo o jogador. Não se preocupem...vou cumprir minha promessa! Ou não estarei sendo ético com meus leitores...

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

2011: 10 + 1?

O Futebol e um pouco mais está de volta! Agradecemos a todos que acompanharam o Blog em 2010. Foram 186 posts em oito meses, quase 2 mil visualizações em dez países diferentes! Para este ano, continuaremos a série sobre os Superclássicos e novas surpresas virão por aí. Iniciamos a temporada de 2011 desejando a todos os nossos seguidores, leitores e amigos, realizações, saúde, paz e sucesso. Que o ano seja mais que 10, seja 11! Nos primeiros posts, os sonhos, desejos e objetivos. Será 2011, para o futebol do Rio de Janeiro, um ano 10 + 1? É o que vamos discutir daqui pra frente, a começar por Botafogo, Flamengo, Fluminense, Vasco e passando por Friburguense e Seleção Brasileira. Ah!...mas não se esqueçam! Sempre tem um pouco mais ...