segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Heróis e Vilões...

Da glória à queda, do céu ao inferno, de herói à vilão. Tudo isso em 90 minutos. Será possível? Sim, neste esporte que é paixão mundial...o tal do futebol. E quando um tal de Botafogo entra em campo, a possibilidade de tantas antíteses parece se multiplicar. Diante do São Paulo, no Engenhão, um primeiro tempo perfeito! Impecável na marcação e competente ofensivamente, o Glorioso abriu frente na primeira etapa com dois gols de Loco Abreu, até então o herói alvinegro. Liquidada a fatura? De maneira alguma! O São Paulo voltou voando e o Botafogo parou na etapa final. O domínio tricolor era gritante, quando o Fogão teve a chance de matar o jogo nos pés de Loco Abreu, num rápido contra ataque. Mas aí..o herói virou vilão! O uruguaio perdeu gol i-na-cre-di-tá-vel! E, coincidência ou não, a pressão paulista aumentou. Então entrou em cena o herói Renan: uma defesa espetacular em cabeçada! No entanto, na mesma velocidade em que foi ao céu, desceu ao inferno. Um chute fraco, despretensioso de longe...e o substituto de Jéfferson soltou nos pés do adversário, que mandou para as redes. Daí em diante, apenas um time jogou. E podemos até discutir se foi falta ou não em Lucas, aos 45 da etapa final (acho que não foi). Mas é indiscutível que o gol de Rivaldo refletiu no placar o que foi o jogo. Ah...Rivaldo sairia como herói? Talvez, se não tivesse desperdiçado o gol da virada, aos 48, ao tentar encobrir Renan. E nesta trama envolvendo os mesmos personagens nos papéis de heróis e vilões, um empate que não resolve nada pra ninguém. E deixa um gosto amargo para os alvinegros, que estiveram tão perto da glória e sofreram, na última hora, a queda...

Cruzeiro 0x3 Vasco: E o trem bala passeou em Minas Gerais sob comando de Diego Souza! Um show do camisa 10 vascaíno, que balançou as redes três vês – e no último gol...uma pintura! O Cruzeiro pode não viver seus melhores dias – e de fato não vive. Mas não é para qualquer um vencer a Raposa em casa dessa maneira, com tamanha propriedade. É para poucos! Para quem conseguiu superar a ausência de Eder Luis e sua velocidade com inteligência. Para quem teve Juninho Pernambucano comandando o meio-campo. Para quem teve Diego Showza em dia inspirado! Para quem prova a cada rodada que o sonho de ser campeão é viável. O Vasco venceu, convenceu e abriu frente na ponta!

Flamengo 2x1 América-MG: Chega de jejum! Depois de 10 partidas sem vencer, o Flamengo derrotou o América-MG no Engenhão...ainda que sem Ronaldinho Gaucho e sem brilho! Arrisco dizer que, se o America fosse uma equipe um pouco mais qualificada, sairia do Rio de Jeneiro com os três pontos. O Coelho não aproveitou a desorganização do rubro-negro na primeira etapa. Sim...até fez um gol...mas não liquidou a fatura (não é, Kempes?). No segundo tempo, Luxemburgo mexeu e o Fla melhorou. Thomáz entrou bem, Diego Mauricio melhor ainda e o Mengão chegou à vitória de virada aos 43 minutos. Tá certo que o gol de Thiago Neves foi ilegal...mas o fato é que o Flamengo reencontrou o caminho das vitórias. Quem sabe, a partir de agora, recuperar o rumo...

Atlético-PR 1x1 Fluminense: Foi na última hora, aos 47 do segundo tempo! O Fluminense arrancou um empatezinho com o Atlético-PR, na Arena, suficiente pra manter o tricolor carioca no G-5. Poderia ter sido melhor, mas nosso querido Abel Braga tratou de complicar. Entrou em campo com três volantes e Marquinho na criação, deixando Lanzini e Deco no banco. Ah...o resultado foi um time sem criatividade alguma na primeira etapa e que saiu no lucro, com Diego Cavallieri defendo penalidade. No segundo tempo, Furacão na frente com Paulo Baier – como gosta de fazer gols em times cariocas! – e um Flu persistente, com um homem a mais durante boa parte do tempo. O gol de Fred, batendo pênalti, gerou revolta por parte dos atleticanos. Mas que houve penalidade, houve. Podemos discutir se há ou não lances semelhantes durante o jogo. E de fato há! Porém, esse lance foi visto e bem assinalado. O Fluzão agradece.

Nenhum comentário:

Postar um comentário