terça-feira, 25 de outubro de 2011

Erros e mais erros...

No equilibrado Campeonato Brasileiro de 2011 é difícil prever quem vai ficar com a taça. No entanto, não é difícil prever que será campeão o time que errar menos. Tanto como num todo quanto dentro de uma partida. O Vasco, por exemplo, oscila pouco durante os jogos. Consegue manter uma regularidade interessante, sempre consistente, mesmo desfalcado. Sim, pois o Vasco é o time mais homogêneo do Brasil, aquele que não sente tanto a ausência dos jogadores. E isso se deve ao fato, curioso por sinal, de não ter nenhum jogador acima da média. E sim, dois ou três atletas por setor que se encaixam dentro de um esquema bem definido. Por isso, o Vasco erra pouco fora de campo - não há vaidades - e durante os 90 minutos. Por isso venceu o Bahia com extrema autoridade e lidera.

O Flamengo, por outro lado, é uma equipe totalemente dependente de Ronaldinho Gaúcho. Não ter o seu camisa 10 em campo significa uma dificuldade enorme na criação de jogadas. E podem crer que atrapalha também o sistema defensivo, por não ter quem segure a bola no ataque, crie situações que intimidem o adversário ou mesmo inflame a torcida. Som o craque e Thiago Neves, outro que pode desequilibrar, o Mengão apenas empatou com o Santos do inspiradíssimo Neymar. E se não fosse os erros da arbitragem...

Agora...erro é com a defesa do Fluminense! Muito mal arrumada, desorganizada e tecnicamente fraca. Nem a formação de Abel Braga, com três volantes, aliviou o sistema defensivo tricolor. E ainda prejudicou a criativadade do Flu, que ficou com 70% com a posse de bola no primeiro tempo e nada fez. Pelo contrário: levou dois gols de um Atlético-MG bem organizado e eficiente. Não há como negar que as ausências de Marquinho, Deco, Fred e Rafael Moura foram sentidas. Aí entra, mais uma vez, a questão da dependência...

Pois bem. Voltando à questão dos erros... o Glorioso parecia ter o jogo contra o Avaí sob controle nos primeiros minutos. Abriu o placar com Loco Abreu e tudo! Foi quando a defesa do Botafogo errou pela primeira vez e a equipe da casa alcançou o empate. Este, parece ter bagunçado um esquema aparentemente acertado, apesar da barração do Elkeson. Marcando frouxo no meio-campo, o Fogão deixou verdadeiras crateras dentro da grande e Cleverson aroveitou, marcando um golaço. No segundo tempo, um outro Botafogo. Com Léo e Elkeson nos lugares de Felipe Menezes e Herrera (que dupla!), o alvinegro ganhou consistência e velocidade. Maicouel, inspirado, infernizava a defesa avaiana. De tanto martelar, o Fogão empatou e a vitória parecia questão de tempo. Afinal, até os 38 minutos, foram pelo menos quatro chances claras de gol e um pênalti não marcado em Abreu. Foi quando Lucas, num ato irresponsável e criminoso, foi expulso. O jogo, até antão perfeito do Botafogo foi por água abaixo. E se afogou quando Robert aproveitou erro de Jéfferson para marcar o terceiro do Avaí. Erros e mais erros, que em meio a alguns acertos, podem a fazer a diferença no final das contas...

Um pouco mais: posso até errar. Mas estou a cada dia mais certo de que o Friburguense será campeão da Copa Rio. À exemplo do Vasco, o tricolor serrano oscila pouco durante as partidas e mantém uma regularidade não observada nas equipes concorrentes. De folga no fim de semana, o tricolor serrano assistiu à rodada do alto, no topo da tabela (líder do grupo F). E por lá poermaneceu com os resultados de domingo. Pelos cálculos, duas vitórias nos próximos cinco jogos serão suficientes para garantir o Frizão nas semifinais. Que assim seja...

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Frizão segue firme!

                 

E o Frizão segue firme na caminhada rumo à Copa do Brasil! No último sábado, o Friburguense goleou o Macaé por 4x2, no Eduardo Guinle, avançando na Copa Rio como o melhor time do grupo B. Acima, a matéria sobre a partida que fiz para o Esportes Tv Zoom e para o Zoom Tv Jornal. Edição de Oduvaldo Junior e imagens de Noé Tardin.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Muito / pouco...

Em um campeonato tão equilibrado como o Brasileirão, não se pode dar bobeira. Quem estava parado na esquina há dez rodadas parece retomar o rumo. Quem hoje está por cima amanhã pode cair. Não vamos esquecer de olhar pelo retrovisor, pois três cores que traduzem tradição se aproximam.

Sendo assim, o pouco pode significar muito. O Atlético-GO, por exemplo, precisou de pouco tempo, dez minutos, para fazer dois gols no Botafogo e vencer por 2x0. Aliás...pode parecer muito, mas foi pouco. O Botafogo voltou a apresentar os mesmos problemas de quando joga longe do Engenhão: apatia, marcação frouxa e inoperância. Dessa vez as peças principais não renderam. Maicosuel, Cortês, Herrera, Loco...todos muito mal! Elkeson, longe de ser brilhante, ainda tentou algo. Até Caio Jr. o substituir (???). Enfim, uma atuação abaixo da crítica do alvinegro. Sorte que dos quatro primeiros colocados ninguém venceu. Mas o empate entre Vasco e Corinthians aumentou em mais um pontinho a distância pra liderança. Pouco? Talvez, no fim das contas, seja muito...


A distância do Fluminense para os líderes parecia ser muito grande. Mas depois de boa sequência, o time de Abel Braga encosta. E agora falta pouco, seis pontinhos. Contra o Santos, um grande jogo! Neymar deu show e colocou o Peixe à frente. Mas Rafael Sóbis entrou no segundo tempo e mudou a cara do Fluminense, inclusive marcando o gol da virada. O que parecia tranquilo se complicou com a expulsão de Digão...e lá vem Marcio Rosário pro campo! E o time paulista empata aos 44 do segundo tempo! E agora? Fred? Rafael Sóbis...nãããooo...ele: Marcio Rosário, aos 50 minutos, garantiu a espetacular vitória tricolor por 3x2. O Fluzão chegou...

E chegou devido ao fato de ninguém ter disparado. Bem que o Vasco teve a chance contra o Corinthians. São Januário lotado, Felipe de volta no banco de reservas, dupla de ataque titular em campo...e Vascão na frente, gol de Dedé. Depois do empate corinthiano, a jogada forte cruzmaltina funcionou: tabela entre Fagner e Eder Luis e gol do lateral. No entanto, o Timão foi à luta e buscou a igualdade. De fato, o Corinthians ainda teve um pênalti não marcado a seu favor. E chances para vencer a partida, assim como o Vasco. Mas ficou tudo igual. A vitória, bem como a derrota, não significaria título. Poderia deixar um pouco mais próximo. No entanto, o empate por 2x2 não resolve nada e permite a aproximação de alguns...a dupla Fla-Flu que o diga...

Por falar em Fla, o que era dez jogos sem vencer se transformou em quatro partidas de invencibilidade. Uma vitória maiúscula sobre o São Paulo, 2x1, em pleno Morumbi que estava lotado para ver Luis Fabiano de volta ao tricolor! Mas os torcedores assistiram a um Flamengo bem organizado, marcando de maneira competente e que soube aproveitar a expulsão de Lucas para abrir o placar. Sofreu o empate, perdeu Willians...mas contou com a sorte em chute de Renato Abreu para vencer. Ouso dizer que Rogerio Ceni poderia ter defendido...mas como cobrar? O que ele e Felipe pegaram foi brincadeira! No fim das contas, melhor para o rubro-negro carioca, antes um pouco longe...agora muito mais perto da briga pelo título.

Um pouco mais: Muuuito quente estava em Bangu, no sábado! Nada mais nada menos que 42ºC! E um Friburguense inteligente no primeiro tempo, que contou com a estrela de Ricardinho para abrir o placar. Mas como comentamos...pouco tempo pode valer muito! E apenas 15 minutos da etapa final foram suficientes pro Bangu passar á frente no marcador. E poderia ter feito mais, desperdiçou vários contra ataques. Persistente, o tricolor de Gerson Andreotti foi buscar a virada em dois minutos: aos 40 e 42, com Bidu e Ricardinho – quinto gols do atacante em dois jogos em Moça Bonita neste ano. Vitória por 3x2 que classifica o Frizão para a próxima fase da Copa Rio. Diante do Macaé, no próximo sábado, em Nova Friburgo, a decisão do primeiro lugar do grupo B. Faltam nove jogos para a Copa do Brasil! Muito? Ou pouco?